Turquia

Erdogan fala em fraude e admite impugnar resultados das municipais em Istambul

244

o Presidente da Turquia considerou que "houve irregularidades em todas as partes" das eleições municipais e afirmou que se trata de um "crime organizado", por isso, vai impugnar as eleições.

SEDAT SUNA/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse esta segunda-feira que ocorreram situações de “fraude” e “crime” nas eleições municipais em Istambul e que o partido no poder vai impugnar judicialmente os resultados provisórios.

Comprovamos que houve irregularidades em todas as partes. É crime organizado”, disse Erdogan em conferência de imprensa antes de partir para uma viagem oficial à Rússia.

“Está a demonstrar-se onde e como se cometeu a fraude”, disse o chefe de Estado.

“Com dez milhões de eleitores recenseados e com uma diferença de 13 ou 14 mil votos, ninguém pode dizer que tenha ganho”, acrescentou Erdogan, referindo-se aos resultados preliminares que indicam a derrota do AKP no poder face aos sociais-democratas do CHP, em Istambul.

O resultado provisório das eleições municipais de 31 de março dá ao Partido Republicano Popular (CHP) uma vantagem de 23 mil votos.

No domingo à noite, após a recontagem de 90% dos votos nulos, a diferença entre os dois partidos era de 15.800 votos, de acordo com fontes do CHP.

Denunciando “irregularidades flagrantes” na votação, o AKP requereu no início da semana uma primeira recontagem parcial, sobretudo dos votos contabilizados como nulos.

No domingo, o partido anunciou que vai pedir a recontagem de todos os votos submetidos em Istambul e Erdogan anunciou hoje que vai pedir uma investigação judicial para o esclarecimento das “irregularidades”.

Erdogan partiu pouco depois das 07:30 para Moscovo, onde vai encontrar-se com o chefe de Estado russo, Vladimir Putin, para discutir questões bilaterais e também da questão da Síria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Investimento público

A tragédia de Pedro Marques

Inês Domingos

Com um quadro Centeno confessou inadvertidamente como foi um dos principais responsáveis pelo desastre de atuação de Pedro Marques, sendo que este também não foi capaz de aplicar os fundos de Bruxelas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)