A Aptoide está a negociar uma parceria com a Huawei depois de a Google ter anunciado a suspensão dos negócios com a gigante chinesa. A notícia foi confirmada ao Dinheiro Vivo pelo CEO, Paulo Trezentos, que admitiu que o modelo ainda não está definido.

Este pode acontecer numa de duas formas: ou a loja de aplicações da Aptoide passa a estar instalada nos smartphones da Huawei, ou esta passa a integrar os conteúdos da Aptoide na sua própria loja. “Temos aqui vários produtos diferentes e é perceber qual o enquadramento que poderia ou não fazer sentido para eles”, disse Paulo Trezentos.

A empresa portuguesa, que já trabalha com três dos maiores fabricantes chineses de smartphones, como a Oppo, tem mais de 900 mil aplicações na sua loja de conteúdos para o sistema operativo Android e mais de 200 milhões de utilizadores, lembra o Dinheiro Vivo.

A Google suspendeu todos os negócios com a Huawei que exigem a transferência de produtos de hardware e software (exceto os que estão cobertos por licenças de código aberto) depois de o presidente norte-americano ter colocado a gigante chinesa na “lista negra”. À Google, que entretanto anunciou ser capaz de garantir os serviços básicos aos utilizadores, seguiram-se as fabricantes Intel, Qualcomm, Xilinx e Broadcom.