Quando surgiu, em junho de 2017, colocou questões pertinentes sobre o vinho natural, sobre se os millennials eram o futuro do vinho e mostrou como a China estava de olhos postos neste mercado. Dois anos depois, os temas são outros, o local o mesmo: a Must Fermenting Ideas está de regresso ao Centro de Congressos do Estoril e arranca já esta quarta-feira. São três dias de conferências que vão ter como oradores críticos, produtores, membros do trade, enólogos, cientistas, sommeliers e jornalistas de vinhos vindos de cinco continentes.

Entre os 17 oradores estão nomes importantes do sector, tal como Lisa Perrotti-Brown, atual editora executiva da publicação Robert Parker Wine Advocate, cuja atribuição de pontos aos vinhos é considerada uma das mais importantes. E é precisamente este tema que Perrotti-Brown vai abordar, ainda que numa perspetiva peculiar: diante de uma audiência seguramente curiosa para perceber o impacto das pontuações no negócio do vinho, a jornalista vai explicar porque é que “as pontuações não são tudo”.

Eric Asimov, editor-chefe da crítica de vinho do The New York Times, e Felicity Carter, editora-chefe da Wine Business International, regressam para uma terceira edição da Must: ele vai tentar responder à pergunta “Como escapar às armadilhas da enologia moderna?” e ela vai provocar o público com o tema “Vinho no Masculino”.

Os temas são mesmo muitos — dos inusitados vinhos laranja à produção de vinho na África do Sul, passando também pelas alterações climáticas –, pelo que o melhor é consultar o programa disponibilizado na página oficial da iniciativa. O tópico dos vinhos naturais volta, uma vez mais, à conversa: Isabelle Legeron, criadora da feira de vinhos RAW Wine que acontece em Londres, Berlim, Nova Iorque, Los Angeles e Montreal, vai contribuir para a discussão.

As palestras acontecem das 8h30 às 18h e vão ocupar o grande auditório. A par destas, o programa da Must Fermenting Ideas contempla outras iniciativas, tal como provas de vinhos comentadas.

Os preços fixam-se nos 300 euros, valor que inclui os três dias de sessões, três almoços, seis coffee breaks e prova de vinhos ao final do dia no Forte da Cruz, também no Estoril.