Rádio Observador

Apple

Cartão de crédito da Apple é lançado em Agosto

O cartão de crédito que a Apple vai lançar em parceria com a Goldman Sach vai estar disponível a partir de agosto, disse o presidente executivo da empresa, Tim Cook.

O Apple Card é um cartão digital para smartphone iPhone que também tem uma versão física em titânio

O cartão de crédito digital da Apple, feito em parceria com a Goldman Sachs, vai ser lançado em agosto. Como noticia a CNBC, o presidente executivo da Apple, Tim Cook, revelou a data durante a conferência de resultados trimestrais da empresa.

O Apple Card vai funcionar com a aplicação Apple Wallet e com o serviço Apple Pay, disponível em produtos da empresa e que permite fazer pagamentos com o smartphone. Quando foi apresentado, em março deste ano, Tim Cook disse: “É a forma mais simples e segura de pagar, com um crescimento enorme”. O serviço vai estar disponível em mais de 40 países até ao fim do ano.

“O Apple Pay tornou-se na forma preferida de pagar por quase tudo, mas nós queríamos mais, portanto decidimos mudar o cartão de crédito”, disse Cook em março. O objetivo do Apple Card é simplificar as aplicações, eliminar os custos de transações, diminuir os juros e dar mais privacidade aos utilizadores de cartões de créditos. “O Apple Card foi criado baseado em princípios de simplicidade e privacidade”, afirmou Tim Cook.

A inscrição para o cartão de crédito no Apple Card é feita no iPhone, gerando um cartão digital que é aceite em “milhões de lojas físicas e online”. Os dados relativos aos gastos com o Apple Card estarão disponíveis na app do Apple Wallet.

O programa de prémios por utilização do Apple Card vai ser o Daily Cash, um sistema que substitui os pontos por utilização por “dinheiro real” — 2% de cada compra feita com um iPhone ou Apple Watch é devolvido, podendo ser utilizado noutras compras ou transferido para outras pessoas. Em compras feitas diretamente à Apple são devolvidos 3% dos gastos. A quantidade de Daily Cash paga pela Apple ao utilizador é ilimitada, explicou a Apple em março.

Segundo a Apple, o Apple Card não vai cobrar qualquer taxa de atraso, anuidade, transferência internacional ou gasto acima do limite. “O nosso objetivo é tornar mais fácil pagar as dívidas, não aumentá-las”, afirmou a empresa durante a apresentação. Ainda não se sabe como é que este serviço vai funcionar fora dos Estados Unidos, onde vão ser cobradas taxas entre 13,24% e 24,42% nos juros.

A Goldman Sachs vai ser o banco responsável pela emissão dos Apple Cards, colaborando com a MasterCard para que o Apple Card possua validade internacional. O cartão físico, para quem o queira ter, vai ser feito de titânio.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)