As negociações entre a Cofina e a dona da TVI para a compra da estação televisiva vão durar 30 dias, anunciou esta sexta-feira a empresa dona do Correio da Manhã numa informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). O comunicado surge “em resposta a uma solicitação de informação complementar” feita pela CMVM à Cofina na sequência da confirmação oficial de que as negociações para a compra da TVI estavam a decorrer em exclusivo entre a Prisa e a Cofina.

“Conforme anunciado a 14 de agosto de 2019, a Cofina e a Prisa encontram-se atualmente a negociar, em regime de exclusividade que vigora durante um período de 30 dias, que pode ser prorrogado por vontade das partes, os termos e condições de uma potencial aquisição, pela Cofina, da participação da Prisa na Grupo Media Capital SGPS, S.A. (‘Media Capital’)”, lê-se no comunicado enviado à CMVM.

Cofina confirma à CMVM negociações para comprar TVI

A informação detalha ainda que “prevê-se que a Cofina venha a adquirir à Prisa a totalidade do capital social na Vertix, SGPS, S.A. (‘Vertix’), sociedade comercial através do qual a Prisa detém ações representativas de 94,69% do capital social e dos direitos de voto da Media Capital, ao invés de proceder diretamente à aquisição da participação na Media Capital”.

“Neste contexto, a Cofina encontra-se atualmente a rever documentação relativa à Vertix para, em conjunto com a Prisa, concretizar definitivamente o objeto do negócio e, correspondentemente, a respetiva avaliação”, acrescenta a nota.

À compra da TVI seguir-se-á uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre as “ações remanescentes da Media Capital”, lê-se ainda no comunicado, que acrescenta ainda que a CMVM deverá designar “um auditor independente para fixar a respetiva contrapartida”.