Rádio Observador

Futebol

16 minutos de loucos, um Paredão e um final com fair play: Flamengo de Jorge Jesus goleia Vasco da Gama e é segundo no Brasileirão

104

A dias de jogar os quartos de final da Taça Libertadores, o Flamengo de Jorge Jesus goleou o Vasco da Gama (1-4) num jogo onde Gabigol e o guarda-redes Diego Alves foram os heróis.

O treinador português volta a jogar a meio da semana para a Taça Libertadores

Getty Images

A meio da próxima semana, na madrugada de quarta para quinta-feira, o Flamengo recebe o Internacional em jogo a contar para a primeira mão dos quartos de final da Taça Libertadores. Mas antes, este sábado, a equipa orientada por Jorge Jesus visitava o Vasco da Gama para disputar um dos dérbis do Rio de Janeiro: o treinador português atravessa, portanto, o conjunto de dias mais exigente desde que chegou ao futebol brasileiro. Que Jesus está habituado a jogar de três em três dias e a saltar de competições internas para internacionais e vice-versa todas as semanas, todos sabemos. Restava saber como reagia o Flamengo a um dérbi a poucos dias de uma partida fulcral para as ambições da equipa da Libertadores.

Depois de um início de jogo algo amarrado, em que as duas equipas se iam anulando mutuamente, Bruno Henrique — que foi esta semana convocado por Tite para os compromissos particulares da seleção brasileira — inaugurou o marcador a poucos minutos do intervalo (42′), já depois de o guarda-redes Diego Alves ter defendido duas oportunidades do Vasco, uma por intermédio de Raul e outra através de Pikachu. Logo no início da segunda parte, quando o adversário ainda esboçava uma tentativa de reação à desvantagem, o mesmo Bruno Henrique construiu de raiz uma jogada que terminou com golo de Gabigol (51′). O avançado ex-Benfica, que é cada vez mais uma peça fulcral no movimento ofensivo da equipa de Jorge Jesus, voltou a assinar uma boa exibição e a motivar uma frase que tem sido repetida nas redes sociais sempre que o Flamengo: “Gabigol tem de ser comprado”, garantem os adeptos do clube, que já sofrem de forma antecipada com o final do empréstimo do jogador.

O avançado que passou pelo Benfica sem grande sucesso é um dos principais elementos do Flamengo de Jorge Jesus

No final da partida, Gabigol garantiu que não pode falar sobre o futuro mas não escondeu a vontade de ficar no Flamengo. “Sempre disse que fico fora disso e foco no campo. Sinto o carinho da torcida em todos os lugares a que vou, a pedir para eu ficar. Ainda não houve conversas entre os clubes. Eu respeito o meu contrato com o Inter de Milão. Obviamente que o Flamengo está a ganhar o meu coração mas não dá para falar nada sobre isso ainda. Agora é curtir esses últimos jogos e depois a gente resolve”, disse o avançado, que era um dos favoritos a uma chamada de Tite à seleção brasileira mas ficou fora da lista quando o selecionador só escolheu um jogador por equipa brasileira, ficando a vaga então para Bruno Henrique.

Regressando ao dérbi do Rio, o Vasco da Gama beneficiou de uma grande penalidade pouco depois do golo de Gabigol, com o VAR a considerar que a bola bateu no braço de Thuler no seguimento de um cruzamento de Tiago Reis. Na conversão, Diego Alves defendeu o remate de Pikachu e manteve a baliza inviolada — mas apenas por escassos instantes. Enquanto os adeptos do Flamengo ainda festejavam a defesa do guarda-redes, o central Castán subiu ao terceiro andar numa bola parada e reduziu para o Vasco da Gama (58′). Na resposta, depois de Bruno Henrique obrigar Fernando a uma intervenção apertada, Gabigol aproveitou a recarga para bisar e fazer o terceiro golo em 16 minutos loucos (62′).

Até ao final, o Vasco da Gama ainda beneficiou de uma segunda grande penalidade, novamente assinalada com o auxílio do VAR, mas Diego Alves defendeu o segundo penálti da partida e tornou-se, a par de Gabigol, o herói do jogo e depressa recebeu a alcunha de Paredão por parte das claques. O guarda-redes do Flamengo parou o remate do ex-Sporting Bruno César e levou não só os adeptos à loucura como os próprios colegas de equipa que estavam junto ao banco de suplentes. Já nos últimos dez minutos, Bruno Henrique sofreu falta no interior da grande área do Vasco da Gama e Arrascaeta, ao contrário dos dois jogadores do rival do Rio, não falhou (83′). Com esta vitória, aliada ao empate do Palmeiras perante o Grémio, o Flamengo de Jorge Jesus subiu ao segundo lugar do Brasileirão, com menos dois pontos do que o Santos, que ainda joga este domingo com o Cruzeiro.

O resultado totalmente desnivelado deu origem a um final de jogo mais quente, com os jogadores do Vasco da Gama a reagirem de forma impulsiva aos “olés” que se ouviam da bancada, por parte dos adeptos do Flamengo. Alguns elementos das duas equipas ainda se envolveram em confrontos físicos depois do apito final mas a situação foi rapidamente sanada. Horas depois, a rivalidade desmedida deu origem ao fair play: o treinador do Vasco da Gama, Vanderlei Luxemburgo, soube após o fim da partida que a irmã havia morrido e já não esteve presente na conferência de imprensa. Em todos os sites e redes sociais afetas ao Flamengo, está este domingo uma mensagem de apoio e força para o treinador rival.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)