O primeiro-ministro, António Costa, escolheu a ex-ministra Elisa Ferreira para comissária europeia e já o comunicou à nova presidente da comissão, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial do seu gabinete.

“O primeiro-ministro comunicou à presidente eleita da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, o nome de Elisa Ferreira para integrar o colégio de Comissários da próxima Comissão Europeia”, afirmou à Lusa fonte oficial do gabinete de António Costa. Segundo a mesma fonte, oportunamente a presidente da Comissão Europeia comunicará a pasta atribuída à futura comissária portuguesa.

Entretanto, o eurodeputado socialista Carlos Zorrinho revelou em declarações à Antena 1 que a escolha de Elisa Ferreira para comissária europeia foi feita pela própria presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, depois de António Costa ter indicado dois nomes: Pedro Marques e Elisa Ferreira. “A presidente da Comissão Europeia optou por Elisa Ferreira”, explicou.

O gabinete do primeiro-ministro disse, entretanto, à Antena 1 que esta escolha foi uma decisão consensual entre António Costa e Ursula Von Der Leyen. Mais tarde, e em declarações à Rádio Observador, Carlos Zorrinho explicou que “um país indica dois nomes e depois há sempre uma conversa”, sublinhando que “obviamente que a escolha final foi do país”. O líder do grupo parlamentar do PS na Europa disse ainda que Elisa Ferreira tem um “perfil absolutamente adequado naquilo que é a vontade de Portugal de estar no centro da decisão”.

Carlos Zorrinho disse também que “os dois nomes que foram enviados para Portugal são excelentes nomes, dois técnicos e políticos de grande reputação” e que Elisa Ferreira é “reconhecida pelos seus pares”, destacando um papel importante para dar “um novo impulso ao projeto europeu”.

Moedas “contente por passar testemunho” e Marisa Matias espera uma “voz forte”. As reações à escolha de Elisa Ferreira

Duas vezes ministra de Guterres

Elisa Ferreira é licenciada em Economia, vice-governadora do Banco de Portugal desde setembro de 2017, foi eurodeputada e fez parte dos dois governos de António Guterres. Licenciada em Economia pela Universidade do Porto em 1977, tem um mestrado e um doutoramento pela Universidade de Reading, em Inglaterra, (1981 e 1985).

Foi nomeada administradora do Banco de Portugal em junho de 2016 e no ano seguinte vice-governadora. Antes, tinha sido ministra dos governos chefiados por António Guterres, primeiro do Ambiente, entre 1995 e 1999, e depois do Planeamento, entre 1999 e 2002.

Pedro Marques e Elisa Ferreira apontados para comissários. Portugueses reuniram com Ursula von der Leyen

De acordo com uma biografia disponível na página da internet do Banco de Portugal, foi também vice-presidente executiva da Associação Industrial Portuense (1992-1994) e vice-presidente da Comissão de Coordenação da Região Norte (1989-1992), entidade que integrou em 1979. Entre 1989 e 1992, desempenhou funções de vogal do Conselho de Administração do Instituto Nacional de Estatística.

Deputada ao Parlamento Europeu (2004-2016), integrou ao longo de todo o período a Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários, onde foi também coordenadora (porta-voz) do Grupo Parlamentar dos Socialistas e Democratas. No Parlamento Europeu, Elisa Ferreira foi relatora de várias propostas legislativas relacionadas com o sistema financeiro e com matérias de política económica, orçamental e fiscal.

Elisa Ferreira foi, entre outros, relatora da proposta de Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho que estabelece regras e procedimentos uniformes para a resolução de instituições de crédito e de certas empresas de investimento no quadro do Mecanismo Único de Resolução e de um Fundo Único de Resolução Bancária (2014).

Outros relatórios sob a sua responsabilidade incidiram sobre Decisões Fiscais Antecipadas e outras medidas de natureza ou efeitos similares (2015) e sobre a gestão de crises transfronteiras no setor bancário (2010). Elisa Ferreira foi também docente da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Em 2005 foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo. Em 2009 foi ainda candidata pelo Partido Socialista à presidência da câmara do Porto.