São quase tantos os portugueses que acham que o Governo geriu bem a greve dos motoristas como os que acham que geriu mal. Uma sondagem da Pitagórica para o Jornal de Notícias e TSF parece desmentir a opinião mais consensual entre politólogos e comentadores, de que o PS poderia ter ganhos eleitorais graças à reação musculada que teve em relação à greve, entre serviços mínimos muito abrangentes, militares a conduzir camiões e uma requisição civil (parcial).

De acordo com a sondagem da Pitagórica, noticiada esta sexta-feira, 31% dos portugueses dão nota positiva à atuação do Governo neste processo, com 30% a darem nota negativa. Ou seja, um equilíbrio que parece indicar que o PS não terá tido ganhos eleitorais como resultado da gestão da greve.

A sondagem aponta para uma preponderância dos cidadãos mais velhos, com maiores rendimentos e residentes na área de Lisboa como aqueles com maior tendência para dar nota positiva ao Governo (além daqueles que se identificam como eleitores habituais do PS). Já os inquiridos mais novos, aqueles que pertencem às classes médias ou baixas e que residem no norte do país tendem a não concordar com a ação do governo (além dos que dizem votar regularmente no PSD).

Quando se pergunta aos portugueses quem é que tinha razão — os motoristas ou os patrões — a conclusão é clara: 31% dão razão aos motoristas e 9% aos patrões.