Rádio Observador

Seleção Nacional

Portugal passa a ser a equipa europeia com mais jogos seguidos sem perder (depois da derrota do Kosovo)

136

Com a goleada na Lituânia e a derrota do Kosovo em Wembley, Portugal passa a ser a equipa europeia com mais jogos seguidos sem derrotas – desde o desaire com o Uruguai, sete vitórias e cinco empates.

Portugal deu um passo importante na qualificação para o Europeu com os dois triunfos na Sérvia e na Lituânia

AFP/Getty Images

Não foi propriamente o melhor resultado em termos desportivos mas teve um peso muito maior do que o nulo no final do jogo: em março de 2014, na cidade de Mitrovica, o Kosovo recebeu o Haiti num encontro particular que foi o primeiro reconhecido pela FIFA. Seguiram-se duas derrotas com Turquia e Senegal antes dos triunfos, os primeiros, com o Omã e a Guiné-Equatorial, e a primeira participação numa fase de qualificação, neste caso para o Campeonato do Mundo de 2018, para esquecer: depois do empate com a Finlândia (1-1), seguiram-se nove derrotas e apenas um ponto em 30 possíveis. Depois, tudo mudou.

Desde a derrota com a Islândia, em outubro de 2017, o Kosovo não mais voltou a perder. Mais: até esta terça-feira, a formação comandada pelo suíço Bernard Challandes (técnico que liderou várias equipas helvéticas, passou pela seleção da Arménia e estava como scout do Basileia) desde 2018 era a equipa europeia com a maior série de partidas consecutivas sem derrotas, num total de 15 entre particulares e a qualificação para o Campeonato da Europa de 2020 (dez vitórias, cinco empates). Agora, e depois da derrota em Wembley com a Inglaterra (5-3), esse “estatuto” passou para a Seleção Nacional.

Ao todo, e com a goleada alcançada na Lituânia, o conjunto comandado por Fernando Santos soma 12 encontros seguidos sem qualquer desaire – a última derrota foi nos oitavos do Mundial de 2018, diante do Uruguai em Sochi, naquela que foi apenas o segundo insucesso em termos oficiais desde que o atual selecionador chegou ao cargo, em setembro de 2014.

Após o afastamento no Campeonato do Mundo, Portugal empatou com a vice-campeã mundial Croácia num particular realizado no Algarve, seguindo-se dois triunfos na fase de apuramento da Liga das Nações (1-0 com a Itália na Luz, 3-2 frente à Polónia em Chrozow) e outro num particular disputado em Glasgow com a Escócia (3-1). Ainda em 2018, a Seleção Nacional terminou a primeira fase da Liga das Nações com duas igualdades com Itália (0-0 em Milão) e Polónia (1-1 em Guimarães).

Já no presente ano civil, Portugal começou a qualificação para o Europeu de 2020 com dois empates na Luz com a Ucrânia (0-0) e a Sérvia (1-1) antes de conquistar a primeira edição da Liga das Nações, vencendo a Suíça por 3-1 na meia-final e a Holanda por 1-0 na partida decisiva (ambas no Estádio do Dragão, no Porto). No regresso à competição, a Seleção Nacional alcançou mais duas vitórias na qualificação para o Europeu, na Sérvia (4-2 em Belgrado) e esta noite na Lituânia (5-1).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)