Uma nova sondagem da Universidade Católica para a RTP, divulgada esta terça-feira à noite, indica que o PSD poderá perder a maioria absoluta na Madeira, conseguindo 38% dos votos, o que se traduz entre 19 e 23 deputados. Atualmente, os social-democratas têm 24 assentos.

Nesta sondagem, feita pelo CESOP–Universidade Católica Portuguesa para a RTP no último fim de semana, 14 e 15 de setembro, o Partido Socialista sobe nas intenções de voto, com 29%, o que significa que poderá obter entre 14 e 18 deputados, um número bastante significativo se considerarmos que atualmente o partido socialista tem 5 assentos no parlamento regional.

Ainda assim, esta sondagem representa um cenário menos mau para os sociais-democratas do que um inquérito telefónico da Eurosondagem para o Diário de Notícias da Madeira, divulgado em 26 de julho. Nesse trabalho da Eurosondagem, PSD e PS surgiam muito mais próximos em intenções de voto e em número de deputados, com um intervalo entre 18 e 19 assentos para os sociais-democratas e 17-18 para os socialistas.

O CDS e o Bloco de Esquerda surgem, na respetiva sondagem, em pé de igualdade, somando 5% cada um nas intenções de voto dos madeirenses. O CDS poderá alcançar 2 a 3 deputados, sendo que atualmente tem 7 assentos.

O partido Juntos pelo Povo (JPP) consegue 4%, a CDU 3% e o PAN 2%. O estreante Aliança consegue 1,5%, à semelhança do que acontece com o Partido da Terra.

As eleições regionais da Madeira estão marcadas para 22 de setembro. Já as legislativas estão marcadas para o próximo dia 6 de outubro.

A sondagem da Católica na Madeira decorreu entre 14 e 15 setembro, envolvendo inquéritos a madeirenses com mais de 18 anos. Foram recolhidos 1.357 inquéritos válidos, uma taxa de resposta de 58%. A margem de erro máximo associado à amostra é de 2,6%, com um nível de confiança de 95%.