O pedido já tinha sido endereçado pelo Ministério da Defesa ao das Finanças em julho mas só esta semana foi dada luz verde para a promoção de 4945 militares das Forças Armadas — o equivalente a 19% do total de efetivos de Marinha, Exército e Força Aérea, avança este domingo o Correio da Manhã.

“Para já, consideramos que a haver promoções, apenas pecam por tardias. Delas dependem o desenvolvimento das carreiras e orçamentos familiares dos militares”, disse ao jornal António Lima Coelho, presidente da Associação Nacional de Sargentos das Forças Armadas. “Não deixa de ser curioso que se saiba deste anúncio a poucas semanas das eleições. Sabemos ler as coisas. Estas promoções são mais do que justas”, acrescentou.

Desde a intervenção da troika em Portugal, as promoções, que antes eram decididas por cada um dos ramos das Forças Armadas, estando as verbas necessárias para os aumentos inerentes à subida de categoria incluídas nos respetivos orçamentos, passaram a depender do aval do governo. Estas 4945 promoções, autorizadas no âmbito da regularização de promoções, juntam-se às 6830 permitidas em dezembro do ano passado.

Nessa altura subiram de patente 3350 militares do Exército, 1750 da Força Aérea e 1730 da Marinha. A forma de divisão das promoções agora anunciadas não foi ainda divulgada.