A Rússia assinou esta segunda-feira uma resolução governamental que consagra a adesão definitiva ao Acordo de Paris sobre redução de emissões de gases com efeito de estufa, assinado por 195 países.

“O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, assinou uma resolução governamental sobre a adoção pela Rússia do Acordo de Paris sobre o clima”, anunciou o Governo na sua página oficial pouco antes da abertura da Cimeira da Ação Climática que decorre esta segunda-feira na sede das Nações Unidas em Nova Iorque.

A nota acrescenta que o Acordo de Paris “não impõe uma obrigação à Rússia de o ratificar” e que “de acordo com a legislação russa o compromisso da Rússia é confirmado pela resolução que acabou de assinar”.

“Este é o último passo que a Rússia dá para adotar o Acordo de Paris”, comentou fonte governamental russa citada pela agência France Presse.

A fonte acrescentou que a Rússia deve anunciar a decisão na ONU dentro de algumas horas.

A Cimeira da Ação Climática pretende definir ações concretas de combate às alterações climáticas, para impulsionar o Acordo de Paris e junta muitos líderes mundiais, numa altura em que se batem recordes de emissões de gases com efeito de estufa.

“As ameaças colocadas pelas alterações climáticas são a destruição dos equilíbrios ambientais, aumento dos riscos para o desenvolvimento de certas industrias chave (…), e sobretudo riscos para as populações que vivem sobre os terrenos gelados (permafrost) e o aumento das catástrofes naturais”, disse hoje o primeiro-ministro russo numa reunião oficial.

A decisão russa já foi saudada pela organização não governamental Greenpeace Rússia, que num comunicado afirmou: “o nosso país tem um enorme potencial para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa”.