Vinte sarcófagos de madeira foram encontrados por arqueólogos nas vizinhanças da cidade egípcia de Luxor, anunciou esta terça-feira no Twitter o Ministério das Antiguidades do país. A descoberta foi feita na Necrópole de Asasif, sugerindo que os caixões foram enterrados entre 1994 a.C. e 332 a.C.. Para os especialistas, esta é “uma das maiores e mais importantes descobertas dos últimos anos”.

As fotografias publicadas nas redes sociais mostram 20 caixões com formatos semelhantes ao do corpo humano, inscritos com hieróglifos egípcios e pinturas do Antigo Egipto. Os especialistas ainda não revelaram o significados dessas inscrições, nem deram mais detalhes sobre a descoberta anunciada pelo governo, mas prometeram uma conferência de imprensa no sábado.

De acordo com o governo egípcio, todos os caixões continuam selados, num estado de total conservação, e estavam dispostos em dois níveis sobrepostos num grande túmulo em Al-Assasif, na margem oeste do rio Nilo, a região da cidade de Tebas Ocidental. As inscrições não perderam as cores com que foram gravadas. Esta era uma prática dos tempos dos faraós, usada para enterrar os nobres da sociedade egípcia.

Este anúncio chega uma semana depois de o governo do Egipto ter anunciado a descoberta de uma antiga área industrial na zona oeste do Luxor. Essa região tinha “casas para armazenamento e limpeza de material funerário, com muitas olarias datadas da 18ª dinastia”, explicaram os especialistas. A descoberta foi feita no chamado Vale dos Macacos.