O IEFP recebeu, num mês, mais de 4.900 pedidos de conversão de contratos de trabalho no âmbito do programa Converte+, que concede apoio financeiro até 3.050 euros por trabalhador para empresas que convertam contratos a prazo em permanentes.

De acordo com os dados enviados esta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e da Segurança Social (MTSSS), desde o dia 20 de setembro, data em que abriu o período de candidaturas à nova medida, chegaram ao Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) pedidos de 1.400 empresas.

A maioria dos contratos a termo que estas empresas pretendem converter têm duração inferior a um ano e em 50% dos casos estão em causa trabalhadores com menos de 35 anos de idade, sinaliza o MTSSS.

Mais de dois terços dos contratos a converter têm salários base superiores ao salário mínimo nacional e em mais de 20% dos casos a transição para contratos por tempo indeterminado deverá dar origem a um aumento da remuneração base dos trabalhadores, acrescenta.

As candidaturas recebidas até ao momento representam um apoio agregado no montante de 12,8 milhões de euros, o que corresponde a aproximadamente 43% da dotação de 30 milhões de euros associada a esta nova medida.

As candidaturas à medida Converte+ encerram no dia 31 de dezembro de 2019.