A deliberação foi tomada numa reunião na passada quarta-feira, dia 6: a comissão política da secção do PSD de Ovar, distrito de Aveiro, não vai apoiar nenhuma das candidaturas às diretas do PSD. Por outras palavras, não vai expressar apoio ao atual líder do partido, Rui Rio. Problema? Trata-se da concelhia onde o vice-presidente do PSD Salvador Malheiro é militante e onde é presidente da câmara, além de ser também líder da distrital de Aveiro.

“Uma vez que se aproxima um ato eleitoral de enorme responsabilidade para o PSD, a comissão política da secção de Ovar decidiu não apoiar qualquer uma das candidaturas propostas ou que se venham a propor”, lê-se na deliberação aprovada esta semana por aquela concelhia. E explica: “Entendemos que numa secção com mais de 1200 militantes devem ter, cada um dos mesmos, a liberdade total, para que, em consciência decidam, não só a regularização das suas responsabilidades junto do partido, bem como a liberdade da sua melhor escolha para o futuro do partido”. Ou seja, o apelo é ao voto livre.

Acontece que se trata de uma concelhia onde o vice-presidente de Rui Rio tem influência, na medida em que Salvador Malheiro é natural de Ovar, presidente da câmara de Ovar, além de ser líder da distrital de Aveiro. A concelhia é presidida por Pedro Coelho, tendo Henrique Araújo, que é braço direito de Salvador Malheiro na câmara, como vice. Recentemente, contudo, durante o processo de elaboração das listas de candidatos a deputados, foi tornada pública uma divergência entre Henrique Araújo e Salvador Malheiro, por Salvador Malheiro não o ter defendido quando Pedro Coelho propôs o nome de Araújo para integrar as listas de candidatos à Assembleia da República.

Quando, no início de outubro, Luís Montenegro protagonizou um jantar em Espinho a propósito dos 10 anos da liderança dos sociais-democratas naquela autarquia, que foi entendido como um jantar de demonstração de força do candidato às diretas do PSD, Henrique Araújo era um dos presentes no evento. Ao Observador, contudo, rejeitou a ideia de apoio. “Recebemos um convite do PSD de Espinho e eu vim em representação do PSD/Ovar”. Não é apoio? “Não, não é apoio. Foi resposta a um convite e estou aqui pelo PSD/Ovar”, disse apenas.