Uma sondagem da Aximage para o Jornal Económico mostra que dois em cada três portugueses acreditam que este Governo vai chegar ao fim da legislatura, enquanto 2,3% dos inquiridos acreditam que António Costa não vai sequer ficar um ano no cargo de primeiro-ministro.

Na sondagem “Atualidade Política” foram feitas, entre 8 e 11 de novembro, 639 entrevistas em que 66,7% dos inquiridos acreditam que, mesmo minoritário, o PS manter-se-á no Governo durante os quatro anos da legislatura. Já um terço dos entrevistados não defende esse cenário e admitem mesmo ser possível que os partidos da esquerda e da direita se unam para aprovar uma moção de censura.

E a dimensão da equipa escolhida por António Costa para governar o país? A escolha de 20 ministros e 50 secretários de Estado é, para 71,8%, exagerada, enquanto 22,2% considera uma escolha acertada, usando o mesmo argumento de Costa para o fazer; a presidência da União Europeia em 2021.

Segundo o Jornal Económico, foram também avaliados os líderes dos partidos com assento parlamentar — com exceção da líder d CDS-PP, Assunção Cristas, que está de saída, e do líder do grupo parlamentar dos Verdes, José Luís Ferreira. Mas incluiu os novos deputados eleitos: André Ventura (Chega), João Cotrim de Figueiredo (Iniciativa Liberal) e Joacine Katar-Moreira (Livre). Joacine Katar- Moreira foi a pior classificada pelos eleitores que constituíram a amostra, com uma nota de 6,3 numa escala em que o mínimo é zero e o maximo 20. Já Ventura teve 8,9, Cotrim de Figueiredo 8,1 e André Silva do PAN 7,9.

À frente, e olhando pelos resultados, facilmente se conclui que está o primeiro-ministro António Costa (com 11,4), seguindo-lhe a bloquista Catarina Martins (10,2). O social-democrata Rui Rio (9,9) ficou avaliado com pouco mais que o líder comunista Jerónimo de Sousa (9,7).

Já praticamente unânime é o apoio dos entrevistados à recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa para um segundo mandato presidencial: 82,6% aprovam e apenas 11,1% recusam tal cenário.