A Sport Lisboa e Benfica SGPS, que já controla quase 67% do capital da SAD, lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre o equivalente a mais 28,06% do capital disperso em bolsa. No final, o objetivo é o clube vir a controlar a quase totalidade da sociedade desportiva do Benfica.

Num anúncio preliminar da OPA divulgado na noite de segunda-feira no site da CMVM, a Sport Lisboa e Benfica SGPS informou que o preço da oferta (de caráter voluntário) é de 5 euros por cada uma das ações da categoria B (ordinárias) que não estão sob o seu controlo. Quando as ações entraram em bolsa, em 2001, cada título valia 1000 escudos (4,99 euros).

“O preço oferecido por ação visa assegurar que os acionistas que adquiriram as suas ações na sociedade visada no decurso da oferta pública de distribuição em 2001 possam vender as ações de que são titulares a um preço semelhante ao preço nominal a que as mesmas foram então subscritas (1.000 escudos, ou seja, 4,99 euros)”, informou a Benfica SGPS.

Esta oferta também corresponde a um prémio de 81,15% face ao fecho da sessão desta segunda-feira, que foi de 2,76 euros. Na sequência da oferta, as ações do Benfica estavam a valorizar mais de 70%. As ações estão neste momento suspensas.

A Benfica SGPS também informou que o valor máximo da operação é de 32,7 milhões de euros. A este valor, acrescentou, será deduzido “qualquer montante (ilíquido) que venha a ser atribuído a cada ação, seja a título de dividendos, de adiantamento sobre lucros do exercício ou de distribuição de reservas”. A um preço de 5 euros por ação, a SAD fica avaliada em 115 milhões de euros, valor que iguala o do seu capital social.

Recorde-se que o capital social da Sport Lisboa e Benfica SGPS é de 115 milhões de euros, representado por 23 milhões de ações, Destas, 9,2 milhões de ações são de categoria A (com privilégios previstos nos estatutos), integralmente detidas pelo Sport Lisboa e Benfica, e 13,8 milhões são de categoria B, dispersas por outros investidores.