Um dos mais famosos apresentadores da televisão brasileira, Gugu Liberato, morreu aos 60 anos em Orlando, nos Estados Unidos da América, anunciou na noite de sexta-feira a sua assessoria de comunicação, de acordo com a imprensa brasileira.

O portal de notícias brasileiro G1 refere que o apresentador lusodescendente estava internado desde quarta-feira num hospital na cidade de Orlando depois de sofrer uma queda em casa e bater com a cabeça.

A morte cerebral foi confirmada pelo médico Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro contactado pela família e que chegou a Orlando na sexta-feira.

Na quarta-feira, Gugu tinha voltado para a sua casa em Orlando, nos Estados Unidos da América, após uma viagem à Ásia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao subir ao sótão da sua casa para verificar o ar-condicionado, o apresentador pisou numa área feita de gesso (drywall) e caiu no chão da cozinha, de uma altura de quatro metros. Com a queda, bateu a cabeça e sofreu uma fratura na têmpora direita.

Segundo a família do apresentador, deverá haver alguma demora na trasladação do corpo para o Brasil porque Gugu Liberato expressou em vida o desejo de ser doador de órgãos. Só depois desse processo é que o corpo será levado para o Brasil.

View this post on Instagram

Nesta quarta feira tem #cantacomigo na #recordtv

A post shared by Gugu Liberato (@guguliberato) on

O filho de portugueses que alcançou o sucesso no Brasil

António Augusto Moraes Liberato nasceu na Lapa, bairro de classe média da cidade de São Paulo, a 10 de abril de 1959. O apresentador era o filho mais novo de um casal de portugueses, Augusto Claudino Liberato, camionista, e Maria do Céu Moraes, lojista. Tinha dois irmãos, Amândio Liberato e Aparecida Liberato.

Gugu Liberato tinha três filhos com Rose Miriam di Matteo: João Augusto, de 18 anos, e as gémeas Marina e Sophia, de 15 anos.

Entre 1981 e 2003, Gugu Liberato destacou-se no canal de televisão SBT ao apresentar programas de grande audiência que foram sucessos na época, como “Viva a noite” e “Domingo legal”. Em 2009, assinou contrato com a TV Record, na qual continuou a atuar como apresentador.

Em comunicado, a família do apresentador anunciou “com profunda tristeza” a morte de Gugu Liberato.

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos. Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros, quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.Na admissão, deu entrada em escala de *Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral.

A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante da mãe do apresentador, Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido. Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos. Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos. Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente.Fica a saudade, ficam as lembranças – que são muitas – e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz.

Familiares e funcionários, São Paulo, 22 de novembro de 2019