Duzentos agentes da polícia em Los Angeles, nos Estados Unidos, vão ser treinados para utilizar um dispositivo que permite emaranhar um suspeito com uma corda a uma distância de até oito metros. BolaWrap prende os indivíduos pelo torso ou pelas pernas, mas só vai ser usado em casos especiais, como quando os suspeitos sofrem de alguma perturbação mental. Mas os ativistas dos direitos civis torcem o nariz à ideia, conta a BBC.

Carlos Islas, da Polícia de Los Angeles, esta é uma opção “que estava para aparecer há muito tempo” porque “restringe inevitavelmente alguém”, poupando tempo aos agentes, justifica. Mas John Raphling, da Human Rights Watch, acredita que instrumentos como este “vão ser usados para expandir a violência policial”, dando a ilusão do contrário: “Em vez de se dar mais poder à polícia devia-se repensar o papel da polícia no país”, defendeu.

BolaWrap foi desenvolvido pela Wrap Technologies, que descreve este instrumento como “um dispositivo de retenção remoto portátil que descarrega uma corda Kevlar”. A BBC compara-o a um “gadget ao estilo do Batman”. As cordas viajam a 156 metros por segundo. No final da corda estão duas pequenas farpas que se prendem à pessoa quando é atingida. Segundo a empresa, o suspeito pode ser detido com o mínimo de dor.

O dispositivo já está a ser usado pelas autoridades em Fresno, na Califórnia, e em Hendersonville, na Carolina do Norte. Em Santa Cruz, a polícia comprou 20 BolaWrap para passar a usar “armas menos leitais”. Em Fresno, por exemplo, um agente da polícia usou o BolaWrap para deter um suspeito que estava em fuga após ter esfaqueado duas pessoas.