Uma menina indiana de 8 anos e uma jovem de 22 anos do Uganda. Nenhuma delas é tão conhecida como a sueca Greta Thunberg, que esta semana atracou em Lisboa, mas ambas advogam pelo ambiente. Licypriya Kangujam e Vanessa Nakate são jovens ativistas ambientais que, também à semelhança de Greta, participam na cimeira do clima, a COP25, que esta semana ocupa a capital espanhola.

É o El País que recorda o percurso das duas ativistas do hemisfério sul que, lutando pelas mesmas causas, não têm nem de perto, nem de longe, a visibilidade da sueca de 16 anos. Há mais de 50 dias que Vanessa Nakate, a mais velha, está a fazer greve — não vai às aulas desde então –, numa tentativa de chamar a atenção para a bacia do Congo (também conhecida como bacia do Zaire), que o jornal já citado diz ser o segundo maior bosque tropical depois da floresta da Amazónia.

Diante de Greta, Nakate disse que não deveríamos apenas olhar para o futuro, mas antes prestar atenção ao que está a acontecer agora, referindo-se concretamente ao Uganda e ao Quénia, países que têm sofrido com inundações recentes. “Pessoas morreram, perderam as casas, crianças ficaram órfãs… Não devemos falar sobre o futuro, mas sim sobre o presente.”

© licypriya_kangujam

A abordagem de Licypriya Kangujam não é muito diferente das demais ativistas. Em Madrid, deixou-se fotografar a segurar um cartaz com uma mensagem muito explícita: um pedido direto ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, para que este aprove uma lei referente às alterações climáticas no Parlamento daquele país. Também ela abandonou os estudos para se juntar à causa climática. A fotografia mais recente de Kangujam na respetiva conta de Instagram é precisamente na companhia de Greta.