O ator português José Lopes foi encontrado morto esta semana na tenda onde vivia nos arredores de Sintra, informaram amigos através das redes sociais. Aos 61 anos, o artista vivia na pobreza após uma carreira no cinema e no teatro que terminou no desemprego e precariedade.

A notícia surgiu através de uma publicação de António Alves Fernandes, seu amigo, no Facebook. “Aos 61 anos, este andarilho da cultura foi encontrado morto na tenda onde dormia (desde que a segurança social lhe cortara o rendimento mínimo), nos arrabaldes de Sintra, junto a uma estação de comboios”, descreveu.

“Não se sabe a hora nem o dia em que tal facto aconteceu. Dizem que morreu de causa desconhecida”, acrescentou António Alves Fernandes, depois de lembrar que a vida proporcionou a José Lopes “aplausos nos palcos de Teatro, nas salas de Cinema, nos convívios culturais, mas também se atravessou com muitos espinhos: um divórcio muito complicado, uma precariedade que afeta os verdadeiros artistas que não se vendem por ‘dá cá aquela palha’, um desemprego de longa duração, o fado português de o mérito artístico não ser reconhecido, a doença e a pobreza extrema”.

(OPTEC Filmes – Facebook)

Nascido em 1958, José Lopes começou a sua carreira artística ainda jovem, tendo entrado em peças como “Os Negros”, “Vida e Morte de Bamba” ou “Epopeia de Gilgamesh”. Chegou a colaborar com o ator e encenador Luís Miguel Cintra como professor na Escola Superior de Teatro e Cinema e participou em filmes independentes como “Adeus Lisboa”, “Interrogatório” ou “Longe”.

O escitor Rui Zink, também amigo de José Lopes, lamentou através do Facebook a morte do ator, “encontrado no tugúrio onde morava por um amigo um par de dias depois de morrer”.

“O Zé Lopes foi o primeiro grande actor que conheci, ainda no teatro da escola, Os Arletes, em 1975, orientados pelo professor Limpinho, de Filosofia, que ainda cá anda (parece) mas está difícil de localizar por quem para com ele tem (e somos muitos) uma dívida de gratidão. Nós éramos aprendizes de, o Zé Lopes era já actor autêntico”, escreveu Rui Zink.

Outra amiga, a atriz Ângela Pinto, anunciou no Instagram que está a decorrer uma campanha de angariação de fundos para financiar o funeral de José Lopes, que decorre esta quinta-feira na Mouraria, em Lisboa.