As palavras “sustentabilidade”, “violência [doméstica]” e “desinformação” lideram a votação para a “Palavra do Ano” de 2019 , anunciou este sábado a Porto Editora, que promove a iniciativa.

A lista das dez palavras, da qual será escolhida a Palavra do Ano, está disponível para votação até ao próximo dia 31 às 24h00 em www.palavradoano.pt.

Duas semanas depois do arranque da votação para a Palavra do Ano 2019, verifica-se haver três a quatro fortes candidatas junto dos portugueses. Neste momento, a eleição é liderada por ‘sustentabilidade’, secundada pelos vocábulos ‘violência [doméstica]’ e ‘desinformação’, praticamente empatadas, estando ‘jerricã’ a curta distância”, lê-se no comunicado divulgado este sábado.

A palavra “jerricã” está, nesta data, em 4.º lugar, sendo seguida por “nepotismo”, “trotinete”, “seca”, “influenciador”, “lítio” e, a fechar, “multipartidarismo”.

A editora realça que “esta iniciativa vem sublinhar o poder das palavras ao refletir o quotidiano da sociedade em cada ano: os factos, os hábitos, os acontecimentos, as preocupações coletivas”.

O ano passado a eleita foi a palavra “enfermeiro”, com 37,8% dos 226 mil votos validados, seguida de “professor”.

Nos anos anteriores as vencedoras foram “esmiuçar” (2009), “vuvuzela” (2010), “austeridade” (2011), “entroikado” (2012), “bombeiro” (2013), “corrupção” (2014), “refugiado” (2015), “geringonça” (2016) e “incêndios” (2017).

A palavra vencedora deste ano é conhecida “nos primeiros dias de janeiro”.