O diretor de campanha de Luís Montenegro, um dos três candidatos à liderança do PSD, anunciou que foi pedida uma auditoria ao “aumento excecional” do pagamento de quotas na concelhia de Boticas, distrito de Vila Real, ao longo deste fim-de-semana.

Em declarações à Rádio Observador, Pedro Alves confirmou que foi enviado um requerimento ao Conselho de Jurisdição Nacional do partido, pedindo uma auditoria ao pagamento de quotas naquela concelhia. No requerimento, a que o Observador teve acesso, é possível ler que a campanha de Montenegro denuncia “um aumento excecional do número de quotas nesta concelhia”, cujo pagamento terá sido efetuado no fim-de-semana. O ritmo, denuncia o requerimento, “em nada corresponde à média de pagamentos diários de quotas nesta concelhia”, bem como à média das concelhias nacionais.

As notícias da 1h

À Rádio Observador, Pedro Alves explicou que estarão em causa cerca de 110 pagamentos de quota realizados ao longo do fim-de-semana. Concedenco que, havitualmente, “a concelhia de Boticas tem sempre uma grande paticipação dos militantes nos atos eleitorais”, o diretor de campanha Luís Montenegro diz estranhar “não tenha havido qualquer pagamento de quotas” ao longo os últimos meses “e que agora 110 militantes tenham pago a sua quota”.

Por essa razão, Pedro Alves garantiu que a campanha de Montenegro irá estar atenta “ao que possa acontecer no dia 11 [de janeiro]”, referindo-se ao dia das eleições diretas que opõem Montengro ao atual líderio Rui Rio e a Miguel Pinto Luz, sobretudo “em locais onde coisas estranhas aconteciam”.