Entre 2014 e 2018, o número de sem-abrigo em Portugal aumentou exponencialmente. Segundo os dados mais recentes da OCDE, divulgados no seu estudo “Melhores dados e políticas para combater a falta de casa”, e divulgados pelo jornal i na sua edição impressa, em apenas quatro anos há mais 157% pessoas a viver na rua em território português.

Mas não só em Portugal. O número aumentou  em mais de um terço dos 35 países da Organização Para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). De acordo com o relatório, a taxa de sem-abrigo aumentou na Austrália, no Chile, em Inglaterra, França, Islândia, Irlanda, Letónia, Luxemburgo, Países Baixos, Nova Zelândia, Portugal, Escócia, Estados Unidos e País de Gales.

Em alguns casos, acrescenta a OCDE, o aumento foi considerável e Portugal aparece logo em segundo lugar. Com o maior crescimento aparece a Islândia (aumento de 168% entre 2009 e 2017) e, em terceiro lugar, a Irlanda (107% entre 2014 e 2018).

Em dezembro passado, o Presidente da República assinalou que há um “salto de 15 vezes”  mais nas verbas do Orçamento para 2020 para a integração das pessoas em situação de sem-abrigo e destacou também o compromisso da Câmara de Lisboa.