Em 2019, Lisboa foi, pela quarta vez consecutiva, a cidade com mais trânsito da Península Ibérica, acima de grandes cidades espanholas como Madrid ou Barcelona. Esta é uma das conclusões do “TomTom Traffic Index”, relatório anual que analisou o congestionamento de trânsito em 416 cidades de 57 países.

Mundialmente, a capital portuguesa foi a 81ª cidade mais “entupida” de trânsito, tendo descido quatro lugares no ranking. Porém, limitando a pesquisa exclusivamente a cidades na Península Ibérica, Lisboa é a primeira da lista, seguida pelo Porto. Só depois surgem Barcelona e Madrid, que ocupam os 3º e 6º lugares da tabela, respectivamente.

De acordo com a referida pesquisa, os lisboetas passam cerca de 43 minutos no trânsito diariamente, num total de 158 horas por ano. O final do dia de sexta-feira, entre as 18h00 e as 19h00, é o período mais problemático em termos de congestionamento, quer em Lisboa quer no Porto. Para apurar o tempo adicional de viagem que os condutores passam na estrada durante um ano, o “TomTom Traffic Index” regista os tempos de viagem em condições sem trânsito em várias partes das cidades. Posteriormente, são analisados os tempos de viagem no ano inteiro (24 horas por dia, sete dias por semana), em cada cidade, e essa informação é comparada com os períodos sem tráfego, de forma a calcular o tempo adicional. Ou seja, um nível de congestionamento de 33%, como aquele que foi registado em Lisboa em 2019, significa que o tempo adicional de viagem é 33% superior à média do tempo de viagem sem trânsito.

A Invicta, à semelhança do que aconteceu com a capital portuguesa, também acusou um aumento do tráfego, mas ainda assim regista um índice de congestionamento inferior (31%) ao de Lisboa. Os condutores que circulam no Porto perdem 39 minutos no trânsito, somando cerca 154 horas anuais.

O ranking mundial voltou a ser liderado por uma cidade indiana. No ano transacto, em Bengaluru, os condutores passaram mais 71% de tempo no trânsito do que o que seria previsível em condições normais de circulação.