Depois de no final do ano passado, na altura em que chegou ao fim o mandato do conselho de administração presidido por Ana Paula Gonçalves, um grupo de cinco diretores de serviço ter reunido com Isilda Gomes, presidente do Conselho Consultivo e presidente da Câmara de Portimão, a exigir a sua não recondução no cargo, há nova crise à vista no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

Mahomede Americano, diretor clínico, a vogal executiva do conselho de administração, Helena Leitão, e o diretor do serviço de Ortopedia, Paulo Adrês, apresentaram agora a demissão do centro, que inclui os hospitais de Faro e do Barlavento e a unidade de Lagos, e tem sido notícia nos últimos anos pela falta de recursos humanos e financeiros, revela a edição desta terça-feira do Público (conteúdo exclusivo para assinantes).

De acordo com o jornal, que cita Ana Paula Gonçalves, que apesar do fim do mandato se mantém no cargo, só Andrês terá saído para o setor privado, tendo Americano tornado “público que não gostaria de ver a sua comissão de serviço renovada” e Leitão manifestado vontade de “voltar à universidade”.

Apesar de no final do ano ter garantido que a composição do novo conselho de administração do CHUA seria decidida e anunciada “em breve”, questionada dois meses depois pelo Público, Isilda Gomes mostrou-se otimista, apesar de ainda não haver fumo branco: “Vamos ter muito mais dinheiro, certamente as coisas vão mudar”.