Entre as marcas sacrificadas pelo Grupo Fiat e posteriormente pela Fiat Chrysler Automobiles (FCA), a Lancia é o caso mais triste, pois este fabricante produziu dos veículos mais memoráveis, de ralis e velocidade. E a prova é que surgiu agora um lote com seis dos mais belos modelos de competição, pelo qual se pede 7,5 milhões de dólares, cerca de 6,92 milhões de euros.

A colecção de Lancia de competição está a ser proposta pela Girardo & Co, com o grupo de seis veículos a incluir carros de ralis e de velocidade. Entre os primeiros, é possível encontrar um Lancia 037 Rally Evo 2, um dos 20 construídos, bem como um Lancia Delta S4 Corsa, uma ex-unidade de fábrica, e um Lancia Delta HF Integrale 8V, que Miki Biasion levou à vitória no Rali de Portugal e da Grécia de 1988.

A estes três monstros do Mundial de Ralis, a Girardo & Co juntou outros três elementos da colecção de John Champion. Além do Lancia Beta Montecarlo Turbo de Grupo V, que correu nas 24 Horas de Le Mans, integra igualmente este lote de “peças de arte” um raro Lancia LC1 de Grupo VI, que foi pilotado por Riccardo Patrese, Michele Alboreto e Teo Fabi, e um Lancia LC2 de Grupo C que arrancou da pole position para os 1000 km de Kyalami, em 1984.

Os preços individuais para cada um dos modelos ainda não foram anunciados, sendo apenas conhecido o valor global de 7,5 milhões de dólares para o lote de seis veículos. Não é contudo impossível que, por se tratarem de veículos tão distintos, de velocidade e de ralis, o lote acabe por ser desmembrado e cada um dos carros vendido separadamente.