Pelo menos 11 pessoas morreram e outras quatro ficaram gravemente feridas esta quarta-feira à noite na sequência de dois tiroteios ocorridos em dois bares em Hanau, uma cidade na Alemanha, avança o jornal Hessenschau que cita fonte do Ministério Público.

Além das nove vítimas do ataque, o alegado autor dos tiroteios e uma segunda pessoa foram encontrados sem vida num apartamento alvo de buscas pelas autoridades poucas horas depois do ocorrido. O atacante foi identificado como Tobias R., de 43 anos, pela polícia alemã; e a segunda pessoa é a mãe dele, de 72 anos. Tobias matou a mãe, que não este envolvida nos tiroteios, e suicidou-se de seguida.

O atacante foi identificado após terem sido encontradas pistas num carro abandonado junto ao local dos tiroteios. No interior, havia revistas sobre tiro e munições. Foi encontrado já cadáver num bairro a 25 quilómetros de Frankfurt. Não se sabe os motivos por trás do ataque.

Segundo a polícia, o ataque teve “motivações xenófobas” e está relacionado com a extrema-direita alemã. As autoridades encontraram um vídeo e uma carta no apartamento que, diz a polícia,  refere-se a uma “teoria de conspiração sobre maus tratos a crianças nos Estados Unidos”. O conteúdo já está a ser analisada por especialistas.

Angela Merkel reiterou que “há muitas indicações neste momento que o perpetrador agiu por motivos racistas e de extrema direita contra pessoas de outras origens, religiões e aparências”: “O racismo é veneno, o ódio é veneno e esse veneno existe na sociedade e é o culpado por muitos crimes”, acrescentou a chanceler alemã.

De acordo com o Bild, os tiroteios em Hanau aconteceram em dois bares de shisha diferentes, o Midnight e o Arena Bar & Cafe: três pessoas foram atingidas mortalmente num deles; no outro, cinco pessoas morreram. O atacante terá começado a disparar a partir de um carro em movimento em Kurt-Schumacher-Platz, uma praça no centro da cidade, onde se localizam esses estabelecimentos.

Houve relatos de um terceiro tiroteio em Lamboy — onde a polícia estaria também mobilizada, segundo avança uma televisão local — no entanto, as informações revelaram-se falsas.

A polícia   adiantou entretanto que o suspeito seguia num carro escuro, a partir do qual terão disparado os tiros, por volta das 22h locais, uma hora a mais que em Portugal. Segundo a BBC, a maior parte dos clientes daqueles bares são de origem curda. O número inicial de vítimas mortais confirmadas pelas autoridades era oito, mas o número aumentou com a morte de um dos feridos graves.

Este ataque surge poucos dias depois de um tiroteio em Berlim que matou uma pessoa num espetáculo de comédia curdo no pavilhão Tempodrom. O incidente ocorreu na sexta-feira passada, 14 de fevereiro. Ainda não se sabe a motivação desse crime.