Morreu o deputado socialista João Ataíde das Neves, ex-presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz e ex-presidente da CIM de Coimbra, que foi secretário de Estado do Ambiente no ano passado. A notícia foi avançada pelo jornal digital Figueira na Hora e pelo Diário As Beiras e foi confirmada pelo Observador junto da bancada parlamentar do PS. O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, anunciou entretanto que a bandeira nacional do Palácio de São Bento estará a meia haste.

João Ataíde tinha 61 anos e era natural da Figueira da Voz. Ainda esta quinta-feira esteve no Parlamento no debate e votação dos projetos de lei sobre a despenalização da eutanásia, onde se absteve.

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, era Juiz Desembargador do Tribunal da Relação de Coimbra em licença sem vencimento desde que, em 2009, se candidatou à presidência da Câmara Municipal da Figueira da Foz, como independente, pelas listas do PS. Esteve na câmara até abril de 2019, altura em que renunciou ao mandato para integrar o Governo como secretário de Estado do Ambiente. Antes, já tinha sido diretor nacional adjunto da Polícia Judiciária de Coimbra, sendo em 2004 nomeado diretor nacional adjunto da mesma polícia no Porto. Foi presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra.

O Observador confirmou junto de deputados do PS que morreu subitamente em casa, em Coimbra, por volta das 7h da manhã. João Ataíde foi nomeado secretário de Estado do Ambiente em abril de 2019 depois de Carlos Martins se ter demitido na sequência do ‘familygate’.

Ferro Rodrigues endereçou uma nota de pesar à família do deputado socialista, destacando a qualidade no trabalho que desenvolveu e o facto de ser um cidadão “empenhado no bem comum”. “Como magistrado, autarca, governante e, mais recentemente, como deputado à Assembleia da República, João Ataíde das Neves deixou uma marca de grande qualidade no trabalho que desenvolveu, em prol dos outros e da causa pública, e, precisamente por isso, granjeando o respeito dos seus pares”, salienta o presidente do Parlamento, na nota divulgada pela agência Lusa.

“Destacou-se nos dez anos em que liderou a Câmara Municipal da Figueira da Foz, durante os quais investiu fortemente nas áreas sociais – que continuou a acompanhar de perto, através das comissões parlamentares que integrava na Assembleia da República, como seja a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e, em particular, a Subcomissão para a Reinserção Social e Assuntos Prisionais. Deixa-nos hoje alguém que tinha ainda muito a dar ao país”, lamentou Ferro Rodrigues.

Também o atual presidente da câmara da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, reagiu à Rádio Observador com consternação. “Estamos todos em choque, o concelho [da Figueira da Foz] está em choque, é inesperado, não havia nenhum indício, era impensável”, afirmou, recordando que ainda esta segunda-feira esteve com João Ataíde e “estava bem”. Carlos Monteiro decretou dois dias de luto municipal a cumprir esta sexta-feira e sábado.

O autarca, que era número dois de João Ataíde na câmara tendo depois subido a presidente após a saída deste para o Governo, elogia os valores “humanistas” e de “sentido de serviço público” do seu antecessor. “É uma perda terrível para o concelho da Figueira da Foz, era um humanista, sempre preocupado com os direitos das pessoas, sempre teve um grande sentido de serviço público nos dez anos que esteve à frente desta câmara, fez um trabalho excecional nas áreas sociais, na educação, na igualdade de direitos, era uma pessoa sempre aberta ao diálogo”, nota.

Carlos Monteiro afirma ainda que a forma como o deputado votou ontem pela abstenção na lei da eutanásia “só surpreende quem não o conhecia bem”. “O voto dele ontem não poderia ser outro, pela maneira de estar e pensar a vida humana”, afirmou em declarações à Rádio Observador.

O presidente da câmara de Coimbra e da Associação Nacional de Municípios, Manuel Machado, também reagiu com pesar à morte “de um amigo”. “A partida de um amigo é sempre uma questão difícil de compreender”, começa por dizer em declarações à Rádio Observador. “Foi um dedicado servidor das causas públicas, tanto como juiz, como presidente da câmara, como presidente da CIM de Coimbra, como deputado. Nada fazia prever este desfecho e deixa-nos muita saudade e tristeza”, afirma, elegendo como recordações “a forma tranquila como arranjava soluções para resolver problemas”, o “sorriso com que ajudou todos os amigos” e “a forma humanista como se afirmava”.

Rui Rio, presidente do PSD, também já reagiu no Twitter, dizendo-se “chocado”. “Ainda ontem participou normalmente nos trabalhos parlamentares”, nota. “Um homem que tive o prazer de conhecer quando foi diretor da PJ no Porto e de quem só posso dizer bem”, diz ainda o líder social-democrata e ex-autarca do Porto.

Também Pedro Santana Lopes, que foi presidente da câmara da Figueira da Foz, destaca “um homem bom”, um “excelente jurista”, que procurou “servir a Figueira com aquilo que tinha para dar”. “É uma notícia muito triste e absolutamente inesperada”, acrescenta. “Toda a gente na Figueira da Foz sabe que ele gostava muito da Figueira”.

Ministros da Economia, do Ambiente e da Saúde reagem ao “choque”

Do Governo também já chegaram palavras de pesar. Numa nota de imprensa divulgada às redações, o ministro do Ambiente — “e todos no Ministério do Ambiente e da Ação Climática” — lamenta a morte do ex-secretário de Estado e afirma que o seu “percurso como magistrado, como presidente da Câmara da Figueira da Foz e como Secretário de Estado do Ambiente foi um exemplo de serviço público”.

Na nota, assinada pelo ministro João Pedro Matos Fernandes, lê-se que João Ataíde “deu provas de uma excecional capacidade profissional e política e de dedicação à causa ambiental”. “À família e aos amigos apresentamos as nossas mais sentidas condolências, sendo que também nós, no ambiente, nos sentimos de luto“, acrescenta Matos Fernandes.

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, escreveu umas palavras no Twitter de homenagem a “um homem bom e com grande sentido de humor”: “Estou chocado com a morte súbita de João Ataíde das Neves. Conheci-o há muitos anos, quando estávamos longe de imaginar virmos a exercer funções políticas. Tive a alegria de ser seu colega de governo. Era um homem bom, com grande sentido de humor”.

Marta Temido, ministra da Saúde, recebeu com “grande tristeza” a notícia do falecimento do antigo secretário de estado. A ministra foi cabeça de lista do PS por Coimbra nas últimas eleições legislativas, uma candidatura onde João Ataíde ocupava o terceiro lugar. Em declarações ao Observador, Marta Temido recorda “um homem íntegro, de princípios”, que “foi muitas coisas ao longo da vida”, mas que se “dedicou de uma forma muito profunda” a servir a população da Figueira da Foz. Nos momentos passados em campanha, em agosto e setembro de 2019, teve oportunidade de conhecer um “homem de afetos” e “com grandes qualidades humanas”.

Da parte do grupo parlamentar socialista, Ana Catarina Mendes afirma ao Observador que “o grupo parlamentar recebeu esta notícia com enorme tristeza e consternação”, sublinhando depois “o seu caráter humanista, a sua paixão pelas causas e entrega à causa pública”. A líder parlamentar socialista sublinha ainda “o seu sentido apurado de humor”. “É com grande consternação que, depois de ontem termos estado todos juntos no plenário da Assembleia da República, recebemos agora a notícia da sua morte”, afirma.

O próprio PS emitiu também um comunicado de condolências à família de João Ataíde, afirmado que se destacava pela sua “intervenção cívica e política”.

E José Luís Carneiro, secretário-geral adjunto do PS, sublinha que teve a “honra de conhecer o João Ataíde como presidente da Câmara da Figueira da Foz e da Comunidade Intermunicipal de Coimbra, secretário de Estado do Ambiente e como deputado”. E com ele fez “um amizade”.

“Pude conhecer um profundo humanista, dedicado servidor do interesse público e cidadão muito atento à vida das instituições do seu país. Com ele fiz uma amizade. À família e amigos deixo uma palavra de solidariedade e pesar”, escreveu José Luís Carneiro.

Já o presidente da Federação Distrital socialista de Coimbra, Pedro Coimbra, manifestou “profunda consternação e estupefação” pela morte do deputado.

“Foi com profunda consternação e estupefação que soube da morte de João Ataíde, tanto mais que ainda ontem [quinta-feira] viajei, de carro com ele de Lisboa e deixei-o, à noite, na sua casa, em Coimbra” (onde veio a falecer na madrugada de hoje), disse à agência Lusa

A Concelhia de Coimbra do PS afirmou o seu “enorme pesar pela perda de uma referência da cidade e da região”. “O João tinha muito mais para dar ao PS e ao País”, lamentou a estrutura liderada por Carlos Cidade em nota publicada no Facebook, enaltecendo “um amigo, um homem que defendia as causas com uma visão e disposição única”.

O Partido Socialista da Figueira da Foz lembrou o contributo de João Ataíde que “será relembrado sempre na história, a Figueira e o País perdeu um dos seus melhores”, escreveu a concelhia no Facebook.

Duarte Cordeiro, secretário de estado dos Assuntos Parlamentares, lamentou a morte do socialista, que recebeu com “imensa tristeza”. “Um bom amigo que desempenhou com brio todos os cargos públicos que ocupou”, sublinhou, num texto publicado no Twitter.

Também o deputado, e colega de bancada, Sérgio Sousa Pinto reagiu com “profunda tristeza e consternação” à “perda, súbita e brutal”, de João Ataíde. “Que falta que ele vai fazer à política e, mais importante, a tantos de nós, seus amigos. Que sorte tê-lo conhecido, e que privilégio ter sido seu amigo”, escreveu numa publicação no Facebook.

Filipe Neto Brandão, também deputado socialista, afirma que a morte prematura de João Ataíde deixa “entristecidos todos quantos se habituaram a conviver com o seu peculiar sentido de humor e o seu modo sempre gentil de estar”.

A morte inesperada do João Ataíde, aos 61 anos de idade, deixa o Parlamento e a bancada do Grupo Parlamentar do PS mais…

Posted by Filipe Neto Brandão on Friday, February 21, 2020

António Costa: “Era um homem bom, dedicado à causa pública e ao serviço da comunidade”

António Costa reagiu à morte do deputado socialista ao início da noite desta sexta-feira. No Twitter, o primeiro-ministro considerou que João Ataíde “era um homem bom, dedicado à causa pública”.

“O João Ataíde das Neves era um homem bom, dedicado à causa pública e ao serviço à comunidade. Um humanista que lutava incansavelmente pelos princípios em que acreditava, a bem de todos. Deixará uma profunda saudade”, escreveu António Costa na rede social.

Marcelo Rebelo de Sousa recorda “vida dedicada ao serviço público” e ao magistrado

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou o “inesperado falecimento” de João Ataíde das Neves durante a madrugada. “O Presidente da República lamenta profundamente o inesperado falecimento do deputado da Assembleia da República João Ataíde da Neves”, refere uma nota publicada no site da Presidência da República.

No comunicado, o Presidente recordou que, além de deputado socialista, “João Ataíde das Neves era membro do Conselho Superior de Defesa Nacional”. “Numa vida dedicada ao serviço público também como magistrado, autarca e secretário de Estado, destacam-se os dez anos em que exerceu as funções de presidente da Câmara da Figueira da Foz, entre 2009 e 2019”, assinalou.

Marcelo Rebelo de Sousa enviou “à família enlutada as mais sentidas condolências”.

As cerimónias fúnebres de João Ataíde iniciam-se esta sexta-feira, pelas 18h, com o velório na Capela de S. Miguel da Universidade de Coimbra, anunciou o Grupo Parlamentar do PS no Twitter. O funeral está previsto para as 12h deste sábado e dirige-se para o Crematório da Figueira da Foz.

Artigo atualizado às 22h11 com a reação de António Costa