Depois da vitória do Manchester United frente ao Chelsea em Londres, com uma assistência para o golo do central Maguire, Bruno Fernandes começou a ser elogiado mais a sério. No último encontro, em Old Trafford frente ao Watford, ganhou uma grande penalidade, marcou o primeiro golo pelos red devils e fez ainda duas assistências no triunfo por 3-0. “O Manchester United tem um novo Cantona e Old Trafford já lhe dedica um cântico especial comparando-o a outra lenda, Cristiano Ronaldo”, “Está a tornar-se num talismã e as comparações com Paul Scholes enfatizam o impacto que está a ter” e “Desempenho magistral envolvido em tudo o que a equipa faz bem”, “Adeptos do United gritam ‘Bruno, Bruno’ da mesma forma como costumavam cantar o nome de Wayne Rooney” foram alguns dos highlights de uma exibição de sonho que prometia não ficar por aí. E não ficou.

“Apesar de termos sido associados a 111 jogadores em janeiro, a aquisição de apenas um desses jogadores foi um passo importante, que demonstrou o nosso comprometimento em juntar jogadores experientes e de classe mundial aos nossos jovens da formação, que são o coração do desenvolvimento da nossa equipa”, explicou Ed Woodward, vice executivo do conjunto de Manchester sobre o português. “O Bruno veio dar-nos aquele ‘fator X’ que não tínhamos. Gosta de fazer passes frontais e assumir o risco, algo que um jogador do Manchester United deve fazer. A imaginação e a visão de jogo dele estão uns segundos à frente de muitos jogadores. Olhamos para o que faz e não lhe queremos pôr um limite no que pode fazer”, reforçou o técnico, Ole Gunnar Solskjaer.

Isto é o que eu quero e preciso de fazer. Todos sabem que queremos estar nos lugares que dão acesso à Liga dos Campeões. Estou aqui para ajudar a equipa a assegurar esses lugares e continuar a vencer jogos”, comentou Bruno Fernandes à BBC, após o triunfo frente ao Watford.

Manchester rendeu-se rapidamente ao internacional português e até nos gestos mais simples, como uma ida ao supermercado com a mulher apanhada (de forma inevitável) pelos tabloides ingleses, consegue fazer a diferença. Fora de campo, dentro de campo. Como voltou a acontecer na Liga Europa, num estilo já antes descrito pelo técnico norueguês como “arrogant yet humble” que funciona como jogador tipo para Solskjaer. “O Bruno apenas pode melhorar por vir para um Campeonato mais forte, com adversários mais fortes e companheiros de equipa mais fortes. Chegou e impressionou toda a gente. Tem o que procuro na equipa: é confiante e, falando com o treinador, justifica liberdade. É um misto entre confiança, humildade e arrogância”, descreveu.

Foi isso mais uma vez que aconteceu na receção do Manchester United ao Club Brugge, depois do empate a um na primeira mão na Bélgica: numa primeira parte que terminou com os ingleses na frente por 3-0 com três golos em menos de 15 minutos após a expulsão de Deli, Bruno Fernandes inaugurou o marcador de penálti (27′), teve um passe fantástico para Juan Mata que originou o 2-0 de Ighalo (37′), recuperou a bola numa zona de pressão alta bem desenhada que acabou com assistência de Fred para McTominay fazer o 3-0 (41′) e liderou em várias estatísticas, como o jogador com mais remates, mais ocasiões criadas, mais tackles e mais interceções.

No segundo tempo, o Manchester United tirou o pé do acelerador mas continuou a verdadeira sinfonia com a bola nos pés entre Bruno Fernandes e Juan Mata, com o português a ser aplaudido até num livre direto em posição prometedora que saiu muito ao lado da baliza de Mignolet. A 25 minutos do final, Solskjaer fez descansar o médio e Old Trafford voltou a render-lhe uma ovação de pé pela exibição numa goleada que fecharia já no último quarto de hora com Fred a bisar com um desvio na área (81′) antes de um grande remate de fora da área (90+2′).