A DS seria a única representante do Grupo PSA no Salão de Genebra, certame que entretanto foi cancelado devido às medidas de precaução tomadas pelo Governo suíço para evitar eventuais contágios do Covid-19. No certame suíço, o stand da marca premium francesa deveria exibir o novo DS 9, cuja chegada ao mercado ocorrerá ainda neste semestre, mas também um protótipo denominado DS Aero Sport Lounge. Este é, assumidamente, a visão da DS para o futuro dos SUV.

Depois de deixar de ser a extensão de luxo da Citroën e conquistar o estatuto de marca própria, a DS escolheu precisamente o território dos SUV para entrar em campo. Primeiro, com o DS 7 Crossback e, mais recentemente, com o DS 3 Crossback, ambos SUV de bitolas distintas mas unidos pelo carácter marcante que a DS imprime às suas criações. E o Aero Sport Lounge não se furta a esse arrojo, nem do ponto de vista estilístico, nem do ponto de vista tecnológico.

Para já, é apenas apresentado como um concept car que “inaugura uma nova silhueta automóvel, destinada a valorizar a eficiência aerodinâmica como um vector de vanguarda e de desejo”. Mas estas declarações permitem-nos antever a chegada de um SUV eléctrico de grandes dimensões (5 metros de comprimento) para complementar o portefólio da DS que, por enquanto, carece de novidades, pese embora já esteja representada em dois dos segmentos com maior expressão de vendas. E, a confirmar-se que a DS vai mesmo dar esse passo, é de saudar o facto de poder partir de uma base como o Aero Sport Lounge para materializar um novo modelo a posicionar acima do DS 7. Isto porque este concept prova que, por mais que os SUV a dar ares de coupé sejam uma tendência, há sempre margem para surpreender.

Ao primeiro olhar, a secção dianteira é capaz de ser mais facilmente aceite do que a traseira, mas a realidade é que, depois da Cybertruck, seria difícil superar o exotismo das linhas… De acordo com a marca, os designers tiverem como orientação fazer da forma a função, em termos de eficiência aerodinâmica. E essa tentativa de conduzir o fluxo do ar vai desde a linha de tejadilho mergulhante até… jantes de 23 polegadas! Um exagero que resulta muito bem na fotografia, mas que num modelo de produção possivelmente seria revisto.

Quanto ao interior, é (ainda) mais futurista do que o exterior, tirando partido da inteligência artificial e da realidade aumentada para fornecer aos ocupantes uma viagem em primeira classe, num ambiente onde a escolha dos materiais é presidida pela noção de sustentabilidade.

Eventualmente mais próximos da realidade estão os argumentos técnicos deste SUV desportivo, que capitaliza os conhecimentos da marca adquiridos por via do seu envolvimento na Fórmula E. O DS Aero Sport Lounge oferece conta com um motor eléctrico de 500 kW (680 cv de potência), alimentado por uma bateria de 110 kWh “de nova geração e colocada no piso”. A autonomia supera os 650 km com uma carga completa e os 0-100 km/h são alcançados ao fim de apenas 2,8 segundos. Melhor, portanto, que muitos desportivos.