“Já servi o País, hoje vou voltar a fazê-lo enquanto o Estado de Emergência durar… E voltarei sempre que Portugal precisar. Vamos… Vamos com tudo”. Foi desta forma que Frederico Varandas, através da sua conta oficial no Instagram (a que recorre raras vezes), anunciou que irá integrar o corpo médico que estará disponível no combate à pandemia da COVID-19 – ao mesmo tempo que apresentou pela primeira vez o filho, de três meses e meio.

“Pelas gerações dos nossos pais e avós mas também por esta geração que não pode crescer num país sufocado noutra grave crise económica. Por todos eles, por Portugal… Vamos! Cada um à sua maneira. Uns a tratarem dos doentes, outros a fazerem pão, outros a informarem os portugueses, outros a trabalharem nos seus serviços para manter a economia e o País de pé”, acrescentou o líder verde e branco.

De referir que, antes de ter sido decretado o estado de emergência, o Sporting já tinha oferecido ao Governo o Estádio José Alvalade e o Pavilhão João Rocha para instalação de hospitais de campanha, ao mesmo tempo que disponibilizou todo o corpo médico dos leões para qualquer necessidade. Até esse momento, o departamento clínico verde e branco agora liderado por João Pedro Araújo tinha feito apenas um teste a um atleta do clube leonino (das modalidades, não do futebol), com resultado negativo.

Frederico Varandas começou a carreira militar começou em 1998, quando ingressou no curso de Medicina na Academia Militar. Em 2005, concluiu a licenciatura em Medicina na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa e a Formação Complementar em Saúde Militar pela Academia Militar. Depois de ter estado em missão no Afeganistão, em 2008, foi condecorado com a Medalha D. Afonso Henriques. Hoje, com 40 anos, é capitão do Exército português. E, desde setembro de 2018, depois de ter feito uma pós-graduação em Medicina Desportiva e de ter liderado o corpo clínico do V. Setúbal e do Sporting, assumiu a presidência do clube verde e branco.