O BPI anunciou este domingo um pacote de medidas para apoiar as famílias e as empresas portuguesas na crise da Covid-19, um plano que prevê moratórias até um ano para empresas e seis meses para as famílias.

Em comunicado divulgado por fonte oficial, o banco indica que, no caso das famílias, está “disponível para conceder uma moratória de crédito para os particulares condicionada às orientações das autoridades de supervisão e em articulação com as medidas que possam vir a ser estabelecidas pela União Europeia e pelo Estado Português”. Deixa já claro, porém, que as moratórias envolvem tanto o crédito à habitação como o crédito pessoal, incluindo o financiamento automóvel.

Esta moratória estará disponível a pedido dos clientes e consistirá na concessão de uma carência de capital, acompanhada de prorrogação do prazo da operação, até 6 meses, para operações de crédito regulares que se encontrem em período de reembolso, ou iniciem esse período em 2020. Poderão solicitar esta facilidade os clientes em situação regular afetados pela crise da pandemia da COVID-19. É uma isenta de comissões de alteração ou prorrogação e tem subjacente um processo de adesão muito rápido e simples, e em suporte digital”, diz o banco.

Além disso, ainda no campo das famílias, o banco diz que “para permitir uma resposta rápida às necessidades dos clientes, o BPI vai aumentar os montantes disponíveis de crédito pessoal pré-aprovado” e “oferecer dois trimestres gratuitos nas novas adesões ao pacote de serviços básicos (Conta Valor, Conta Premier, Conta Commerce) que incluem todos os serviços necessários para fazer transações a partir de casa (Conta, Transações digitais e Cartões)”.

Outra medida: para clientes que vejam os seus rendimentos afetados por esta crise, “o BPI vai manter sem qualquer agravamento as condições dos seus pacotes básicos de serviços (Conta Valor) e do seu crédito habitação. No caso do crédito habitação, isto significa que as suas bonificações de spread não serão penalizadas”.

Na área das empresas, além do que o banco já tinha indicado (linha de crédito Capitalizar 2018-Covid19 e isenções de comissões a comerciantes), a moratória prevista pelo BPI “consistirá na concessão de uma carência de capital, acompanhada pela prorrogação do prazo da operação, até um ano, em operações de crédito regulares que se encontrem em período de reembolso, ou iniciem esse período em 2020″.