Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Aconteceu em Portugal, depois em Espanha e agora nos Estados Unidos. Um dia depois de o governo estadual da Califórnia ter colocado 40 milhões de residentes em isolamento social, uma multidão quebrou as regras impostas como resposta à pandemia de COVID-19 e invadiu as praias desse estado norte-americano.

Praias cheias de gente em tempo de quarentena. “Assim não vamos a lado nenhum”, dizem especialistas

As imagens de Huntington Beach, Laguna Beach e de praias nos arredores de Los Angeles que pode ver na fotogaleria, foram captadas a 21 e 22 de março, logo após a decisão do governador Gavin Newsom de decretar a quarentena na Califórnia. Apesar de a pandemia de COVID-19 estar a avançar de modo galopante nos Estados Unidos, as temperaturas estivais convenceram muita gente a seguir para a praia ou a encher jardins.

O castigo não tardou a chegar. Como resposta à desobediência dos californianos, algumas cidades decidiram encerrar parques, jardins e algumas praias. As novas medidas obrigaram os norte-americanos a obedecer às ordens do governo estadual. E desde então que as multidões se têm dispersado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Eric Garcetti, o autarca de Los Angeles, foi um dos políticos que criticou o comportamento dos norte-americanos — e utilizou o Twitter para apertar as regras em relação ao isolamento social: “Neste fim de semana, houve muitas pessoas nas praias, trilhos e parques. Por isso vamos fechar os espaços de desporto e recreação, assim como o estacionamento nas praias da cidade”, pode ler-se na mensagem.

O mayor de Los Angeles também alertou os norte-americanos que “isto não significa reunir-se noutro lugar qualquer”: “Isto é a sério”, avisou Eric Garcetti: “Fique em casa e salve vidas”.

Robert García, o mayor de Long Beach, publicou uma mensagem semelhante. Depois de ter explicado que “a ordem do governador e da cidade permite que as pessoas deem um passeio ou visitem um parque ou praia” desde que mantenham o distanciamento social, Robert García decretou o encerramento de “campos de basquetebol, ténis e voleibol, parques para cães, parques infantis, parques de skate, áreas de piquenique e exercícios em grupo”.