A Câmara da Póvoa de Varzim, distrito do Porto, garantiu esta sexta-feira que está preparado o dispositivo de controlo de entrada de pessoas na cidade, no fim de semana, como forma de prevenção da propagação da pandemia da Covid-19.

Em articulação com as forças policiais e a proteção civil preparamos um controlo de entrada de pessoas na cidade, para ser aplicado este fim de semana. Quem não residir na Póvoa de Varzim e não tiver motivos de força maior para cá vir, não iremos permitir a sua circulação. Vamos também fechar a marginal ao trânsito e a polícia municipal estará nas ruas a aconselhar as pessoas a ficarem em casa”, disse Aires Pereira, presidente da autarquia.

O autarca da Póvoa não quer que se repita “a anormal e incompreensível afluência de pessoas que se registou na marginal da cidade no passado domingo” e decretou, ainda, o encerramento dos passadiços junto às praias do norte do concelho, garantindo que essas estruturas serão vigiadas pela Polícia Marítima.

A Câmara da Póvoa de Varzim decidiu também encerrar ao público os dois cemitérios da cidade, e anunciou que o mercado municipal, que está aberto apenas três dias por semana – quarta-feira, sexta-feira e sábado -, terá o número de entradas simultâneas no espaço controladas.

Aires Pereira divulgou, ainda, que a autarquia reservou um hotel na cidade, exclusivamente para os profissionais de saúde que trabalhem no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, e que pode ser usado sempre que os mesmos o entenderem.

Também nessa unidade de saúde que serve as duas cidades foi já montada, num edifico contíguo e que é pertença da autarquia, uma unidade dedicada apenas aos casos de Covid-19, permitindo separar esses pacientes dos restantes casos de saúde que o hospital continua a tratar.

Quanto a medidas de âmbito social, o presidente da Câmara da Póvoa de Varzim revelou que desde a última semana já foram servidas 350 refeições, em regime de “take away”, e 36 cabazes de alimentos a pessoas e famílias com comprovadas carências financeiras. Foi também reforçado o Fundo Social de Emergência Social, para pessoas em situações de extrema necessidade, que vai apoiar no pagamento de rendas, medicamentos, e contas de água, luz e eletricidade.

A autarquia tem também promovido uma ligação telefónica diária a cada um dos 129 idosos inscritos nos centros ocupacionais do município, para aferir eventuais necessidades, e criou uma linha de apoio psicológico.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais 505 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 23 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 108.900 são considerados curados. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23h59 de 2 de abril, registaram-se 60 mortes e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito na quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Póvoa de Varzim controla entradas