O tenista Rafael Nadal e o basquetebolista Pau Gasol doaram esta quarta-feira uma camisola e um par de sapatilhas, respetivamente, para um leilão organizado pela Liga espanhola de basquetebol, que servirá para angariar fundos para o combate à Covid-19.

Nadal entregou para leilão a camisola com que utilizou na conquista do 12.º título de campeão em Roland Garros, no ano passado, revelando que a peça de vestuário tem “um grande significado”.

Quero doar esta camisola com que ganhei em Roland Garros, em 2019. Tem um grande significado para mim. Espero que a valorizem e que seja leiloada por um valor elevado para ajudar todas as pessoas que necessitam do nosso apoio”, afirmou ‘Rafa’ Nadal, através de um vídeo divulgado nas redes sociais.

Por seu lado, Pau Gasol doou as sapatilhas que utilizou ao serviço da seleção espanhola, no Campeonato da Europa de basquetebol, em 2017.

Junto-me a #AMelhorAssistência e quero doar as sapatilhas com que disputei o Euro2017, no qual ganhámos a medalha de bronze. Licitem bem por estas sapatilhas. Juntos, venceremos este vírus”, assinalou Gasol, igualmente através das redes sociais.

O leilão “#AMelhorAssistência”, que decorre até sábado, conta já com 77 artigos, sendo que só esta quarta-feira foram acrescentados 40 novos itens.

A iniciativa, organizada pela Liga espanhola de basquetebol, faz parte de uma campanha iniciada precisamente por Rafael Nadal e Pau Gasol, há duas semanas, que visa ajudar a reunir fundos para o projeto “Cruz Vermelha Responde”, destinado às pessoas mais afetadas pelo novo coronavírus.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,4 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 82 mil. Dos casos de infeção, cerca de 260 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu é, neste momento, o mais atingido, com mais de 750 mil infetados e mais de 58 mil mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 0h de 19 de março e até às 23h59 de 17 de abril, registaram-se 380 mortes (mais 35 do que na véspera) e 13.141 casos de infeções confirmadas (mais 699), segundo o balanço feito esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde.