A Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa (APCL) lançou este mês a campanha “Preenchido pela Paralisia“, durante a qual quatro pessoas com paralisia cerebral vão estar disponíveis para ajudar os portugueses a preencher o IRS em troca da habitual consignação dos 0,5% do imposto em favor daquela associação.

Segundo um comunicado da APCL, “o projeto gira em torno de uma equipa de contabilidade, composta por quatro pessoas com paralisia cerebral, totalmente disponível para efetuar o preenchimento do Modelo 3 do IRS de qualquer pessoa“.

“Como gesto de agradecimento, apenas é pedida que efetuem a consignação de 0,5% do imposto à respetiva associação. Trata-se assim de um serviço útil e gratuito para todos os Portugueses”, explica a associação, lembrando que a consignação do IRS não traz qualquer custo para os cidadãos, embora em 2019 cerca de 70% dos portugueses não a tenham feito.

“A campanha ‘Preenchido pela Paralisia’ pretende demonstrar que deficiência não significa incapacidade. A prova disso mesmo é que uma obrigação fiscal cuja grande parte da população não sabe realizar sem recorrer a ajuda externa, é realizada por um grupo de pessoas com paralisia cerebral“, sublinha a associação.

Segundo a APCL, “um valor que poderia ser superior a 70 milhões de euros [se todos os portugueses efetuassem a consignação], apenas chegou aos 20, sendo este repartido pelas milhares de entidades beneficiárias inscritas”.

A diretora da APCL, Ivone Silva, diz que “esta iniciativa tem como objetivo informar e ajudar“. “Espero que nos tempos que correm, os portugueses possam ser também solidários com as instituições que vivem de apoios deste género, como é o caso da APCL”, acrescentou a responsável, citada no comunicado.

De acordo com a associação, a equipa de contabilidade pode ser contactada através da página da iniciativa na internet e “todo o processo será sempre acompanhado e supervisionado por um contabilista certificado“. Além disso, “todos os membros desta equipa foram devidamente formados”.