Portugal tem agora um total de 16.934 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica em Portugal desta segunda-feira, dia 13 de abril. Houve um aumento de 349 casos, num acréscimo percentual de 2,1%, menos 1,6% do que na véspera. Já o número de mortes subiu de 504 para 535, mais 31, com especial incidência no Norte, o que fez também subir a taxa de mortalidade para 3,16% (3,04% na véspera). O número de casos recuperados, que era de 277 este domingo, não sofreu qualquer evolução.

Em 48h, só 20 novos casos confirmados em Lisboa e Vale do Tejo. No norte, foram 850

Há ainda outros dados a assinalar no Boletim divulgado esta segunda-feira, onde o número de casos suspeitos, não confirmados e a aguardar resultado indiciam um menor número de testes em relação à média da última semana: há menos 40 pessoas em Unidades de Cuidados Intensivos; 35% dos novos casos registaram-se em pessoas acima dos 70 anos; o Porto passou a ser o concelho com mais casos; e registaram-se mais 11 casos importados, incluindo o primeiro caso vindo da África do Sul e também um identificado como Andorra e Espanha.

[Acompanhe aqui tudo o que tem mesmo de saber no mapa interativo sobre o coronavírus em Portugal]

O que tem mesmo de saber sobre o coronavírus em Portugal

A análise do Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica em Portugal desta segunda-feira, dia 13 de abril, pode ser feita através de vários pontos distintos, a saber:

Número total de casos, mortes e recuperados

Menor subida percentual de novos casos. Portugal tem agora um total de 16.934 casos confirmados de Covid-19. Houve um aumento de 349, num acréscimo percentual de 2,1%, menos 1,6% do que na véspera. Já o número de mortes subiu de 504 para 535, com especial incidência na região Norte (23, num total de 303, bem acima dos cinco em Lisboa e Vale do Tejo e dos três no Centro), e que fez subir a taxa de mortalidade para 3,16% (3,04% na véspera). O número de casos recuperados, que era de 277 este domingo, não sofreu qualquer evolução.

Caracterização dos óbitos

Sexta vítima no país abaixo dos 50 anos. Mantém-se a incidência nas pessoas acima dos 70 anos (24 das 31 mortes neste Boletim), que representam 86% das 535 mortes por Covid-19 no país (348 acima dos 80 anos, 111 entre os 70 e os 79 anos). Registou-se também a sexta morte pelo novo coronavírus entre pessoas abaixo dos 50 anos. A nível de regiões, o Norte continua a ser a que conta com mais óbitos (mais 23, num total de 303), seguida da região Centro (mais três, num total de 123) e da região de Lisboa e Vale do Tejo (mais cinco, num total de 96).

Caracterização do número de casos por região

Norte com mais 237 casos, Açores e Madeira sem novos casos. O Norte voltou a ser (desta vez até de forma mais acentuada) a região com o maior aumento de casos em termos brutos, 237 num acrescento de 2,4% para um total de 9.984, mais do dobro do que todas as outras regiões do país: registaram-se mais 55 casos em Lisboa e Vale do Tejo, num total de 3.896; mais 51 no Centro, num total de 2.477; mais cinco no Sul, num total de 284; e mais um no Alentejo, num total de 140. Açores e Madeira não registaram novos casos.

Número de países e casos importados

Primeiro caso importado da África do Sul. O Boletim mostra um aumento de mais 11 casos importados, num total de 707 casos importados, com o primeiro caso importado da África do Sul e também o primeiro entre Andorra e Espanha. Entre os aumentos, a maior subida verificou-se nos Emirados Árabes Unidos, com mais três casos (num total de 46). Argentina, Irlanda, Andorra, Espanha, México e Suécia tiveram também mais um caso importado. Espanha (168), França (123) Reino Unido (75) e Suíça (45) continuam a ser os países com mais casos importados.

Número de casos por grupo etário

35% dos novos casos em pessoas acima dos 70 anos. Num dia em que a faixa de infetados entre os 50 e os 59 anos passou a ter predominância em relação a todas as outras (2.942), nomeadamente a faixa entre os 40 e os 49 anos (2.932), registou-se um total de 35% de novos casos acima dos 70 anos, entre a faixa dos 70 aos 79 anos (mais 48, num total de 1.565) e acima dos 80 anos (mais 74, num total de 2.535).

Número de casos internados e nos cuidados intensivos

Descida de 17,5% nos casos em Cuidados Intensivos. Confirmando a tendência dos últimos dias, o número de casos internados ou nos Cuidados Intensivos continua a estabilizar ou mesmo a decrescer, como aconteceu esta segunda-feira. Em comparação com o Boletim deste domingo, há mais dez casos internados, num total de 1.187, e 188 casos em Unidades de Cuidados Intensivos, menos 40 do que na véspera (descida de 17,5%), valor mais baixo este mês e que se tinha registado pela última vez no Boletim divulgado a 31 de março.

Número de casos suspeitos, não confirmados, em vigilância e a aguardar resultados

Casos suspeitos e não confirmados com subidas entre 2% e 2,5%. Num quadro que indicia um menor número de testes feitos na véspera, atendendo à alteração de valores em alguns parâmetros com subidas bem mais visíveis, houve um acréscimo entre 2,2% e 2,5% entre o número de casos suspeitos (mais 2.941, num total de 139.184) e o número de casos não confirmados (mais 2.939, num total de 118.986). O número de casos a aguardar resultados baixou quase 10% (9,6%, menos 347, num total de 3.264), ao passo que o número de contactos em vigilância pelas autoridades de Saúde aumentaram 7,8% (mais 1.948, num total de 26.989).

Caracterização dos casos por género

58,5% dos casos confirmados entre mulheres. Continua a confirmar-se uma tendência de distribuição por género em Portugal: a percentagem de mulheres infetadas tem vindo a subir de forma ligeira e gradual, com mais 105 mulheres do que homens infetados apenas em relação a este novo boletim num total de mais 2.884 casos positivos em mulheres (num total de 9.909 casos, 58,5% dos 16.934 em Portugal).

Número de casos por concelho

Porto passa a ser o concelho com mais casos. O Porto tornou-se o concelho com mais casos positivos confirmados de Covid-19, de acordo com o Boletim divulgado pela DGS esta segunda-feira, com um total de 921 casos, mais 36 do que na véspera. Lisboa, que registou mais 15 casos, tem agora um total de 905. A maior subida do dia registou-se em Vila Nova de Gaia, terceiro concelho do país com mais casos, que teve mais 46 casos (total de 842). Matosinhos foi o outro concelho com uma subida de mais de 30 casos (33, num total de 715).

Caracterização dos casos confirmados por sintomas

Tosse e febre continuam a ser os principais sintomas. Os sintomas apresentados entre os casos de testes positivos (com informação respeitante a 80% desses casos, mais 1% do que na véspera, como é referido) mantêm-se quase inalterados em relação aos últimos dias, com uma preponderância maior de tosse (55%, menos 1%) e febre (41%, menos 1%), seguidas de dores musculares (32%) e cefaleias (26%). Fraqueza muscular (23%) e dificuldades respiratórias (16%, menos 1%) são os sintomas com menor taxa de incidência.