Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em tempo de pandemia, uma simples ida ao supermercado, à farmácia ou aos correios pode ser uma verdadeira dor de cabeça. O tempo perdido, as filas de espera e o risco de ficar infetado são fatores que não deixam ninguém confortável.

A pensar nesta nova realidade de consumo, Sofia Ribeiro e Diogo Carvalho, ambos estudantes da Universidade de Aveiro, desenvolveram “Marca a vez”, uma aplicação móvel que facilita a vida de quem tem que sair de casa. A ideia surgiu no início de março, altura em que foram impostas limitações de frequência aos estabelecimentos comerciais.

 

“Quando nos deparámos com a nova regra dos estabelecimentos comerciais — que apenas permite a presença de quatro pessoas por cada 100 metros quadrados –, decidimos contribuir de alguma forma, com algo que pudesse facilitar as deslocações das pessoas às compras e evitar as filas de espera desnecessárias, reduzindo, também, o tempo de exposição da pessoa fora de casa. Assim, criámos uma plataforma onde as pessoas podem, antes de sair de casa, articular com os estabelecimentos comerciais ou com os serviços de atendimento ao público aderentes a marcação da visita”, explica Sofia Ribeiro, de 21 anos.

O modo de utilização é simples e requer apenas três passos. Na plataforma online, o utilizador escolhe o estabelecimento comercial ao qual se pretende dirigir, marca um horário e, por fim, recebe um código que deve apresentar quando se desloca ao local.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A plataforma está pronta a ser disponibilizada para qualquer espaço de atendimento ao público, como grandes cadeias de venda a retalho, supermercados, farmácias ou serviços públicos, como os CTT, Lojas do Cidadão ou Finanças.

“Numa fase inicial, o sistema prevê que as marcações efetuadas através da plataforma representem apenas 50% da capacidade de cada estabelecimento comercial, percentagem esta que poderá vir a ser ajustada consoante a adesão que se venha a verificar”, adianta a dupla em comunicado.

Cada espaço de atendimento ao público que pretenda adotá-la, deverá contactar a equipa que desenvolveu a aplicação e, após a adesão, informar os seus clientes que já poderão efetuar as marcações através da app.

 “A plataforma tem merecido os melhores elogios de potenciais utilizadores, quer na ótica de recomendação do uso da plataforma, quer na vertente de gestores dessa utilização. Embora a aplicação tenha surgido em contexto da pandemia, acreditamos que ela possa vingar por tempo indeterminado, uma vez que, a distância de segurança deverá continuar a ser observada ainda por muito tempo nos espaços de atendimento ao público”, sublinha a responsável.

Sofia Ribeiro e Diogo Carvalho são licenciados em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro e, atualmente, são alunos do mestrado em Comunicação Multimédia e bolseiros de investigação na Universidade de Aveiro. “Marca a vez” é um projeto independente, fora do âmbito universitário, e está aberto a qualquer investidor interessado.