Os médicos e investigadores estrangeiros reportaram o aparecimento de um quadro de sintomas semelhante à doença de Kawasaki, uma inflamação rara dos vasos sanguíneos, em crianças afetadas pela Covid-19. Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde diz haver um caso pediátrico que pode enquadrar-se nas descrições vindas de fora. A Organização Mundial de Saúde está a investigar.

A doença de Kawasaki afeta normalmente as veias coronárias, que levam o sangue até ao coração, e as glândulas em crianças com menos de cinco anos. A maior parte dos doentes recuperam e ficam sem sequelas, mas os casos mais graves podem desenvolver problemas cardíacos.

Os primeiros a reportar este quadro clínico foram os espanhóis, britânicos e italianos. Os médicos notaram que as crianças desenvolviam manchas na pele e pressão arterial baixa, além da febre e das dificuldades respiratórias — típicas nos casos de Covid-19, mas também comuns em doentes de Kawasaki.

Um dia depois de ter dito que não havia nenhum caso desta natureza em Portugal, a diretora-geral de Saúde, Graça Freitas confirmou esta quinta-feira a existência de um doente pediátrico “pelo menos parecido com os que têm sido descritos na literatura médica”. No entanto, explicou que ainda “carece de caracterização para ver se é igual às outras reportadas”. Não se sabe contudo onde é que esta criança está a ser acompanhada, nem de que região do país é, nem sequer que idade tem.

Maria João Brito, responsável pela Unidade de Infecciologia do Hospital Dona Estefânia, já garantiu que estas são “formas raras da apresentação da doença” e que outras poderão surgir com o passar do tempo, mas não serão graves, disse ela à Agência Lusa.

Segundo a médica, não se sabe a origem da doença de Kawasaki, mas “pensa-se ser desencadeada por um agente infeccioso em que há uma inflamação imensa de todos os órgãos que podem realmente levar a lesar os órgãos“. No entanto, garante que “isto não é nenhum surto, nem é nenhuma coisa ameaçadora”.

No estrangeiro, a situação está a suscitar mais preocupações. A Sociedade de Cuidados Intensivos Pediátricos, no Reino Unido, emitiu um alerta dando conta de um aumento do número de crianças com “um estado inflamatório multi-sistémico exigindo cuidados intensivos” possivelmente provocada por “uma síndrome relacionada com a Covid-19” ou mesmo por uma nova doença.

Em Itália, uma carta enviada por Angelo Ravelli, médico no Hospital Gaslini e membro da Sociedade de Pediatras, também confirmou ter encontrado um número crescente de doentes de Kawasaki nas regiões italianas mais afetadas pela Covid-19. Em algumas, a medicação à base de esteroides não resultou e tiveram de ser internadas nos cuidados intensivos.

Em Espanha, a Associação de Pediatria fala de relatos de “choque pediátrico” semelhante à doença de Kawasaki. Num segundo comunicado já tranquilizou a população, dizendo que são “pouco frequentes” e, na verdade, não são de estranhar: “Todas estas manifestações têm um denominador comum — uma inflamação dos vasos sanguíneos. E não é de estranhar que a Covid-19, com capacidade de provocar inflamações, possa provocar isto nas crianças“.

Além disso, prossegue a associação, pode tudo não passar de uma “coincidência temporal”. “O quadro clínico caracteriza-se por febre, vómitos, e inicialmente pode começar apenas com dores abdominais, erupções cutâneas, olhos vermelhos e mal-estar generalizado. Não sabemos a causa, mas pode ser desencadeado por infeções bacterianas e tem um tratamento bem estabelecido”, diz o comunicado.

Certo é que ninguém sabe ao certo ainda o que está a causar os sinais semelhantes à doença de Kawasaki. Algumas dessas crianças testavam positivo para uma infeção pelo novo coronavírus, outras não, mas os testes serológicos confirmavam que haviam contactado com o agente infeccioso.