O Enyaq é o SUV que a Skoda vai produzir sobre a plataforma MEB, que vai igualmente dar origem aos VW ID.3 e ID.4, Audi Q4 e-tron, Seat el-Born e Cupra Tavascan, numa primeira fase.

Com 4,65 m, o novo modelo eléctrico tem praticamente o mesmo comprimento total do Kadiaq (4,69 m), mas a frente mais curta deixa antever um habitáculo ainda mais generoso, com os sete lugares que a marca checa tanto aprecia. A distância entre eixos de 2,765 m é relativamente curta para o comprimento, mas ainda assim com espaço mais que suficiente para guardar acumuladores até 82 kWh. Os 2 cm que anuncia a mais do que o VW ID.4 justificam-se mais por uma questão de estilo e forma da carroçaria, do que verdadeiramente para reforçar o espaço interior.

Com uma bagageira de 585 litros, este Skoda continua a tradição da marca, que consiste em oferecer das malas mais generosas do segmento. Mas, como veículo eléctrico que é, o mais interessante é o facto do Enyaq ser proposto com acumuladores de 55 kWh na versão mais acessível, para depois a intermédia ter uma capacidade de 62 kWh e o SUV com maior autonomia transportar consigo a capacidade de armazenar 82 kWh de energia.

O Enyaq vai ser disponibilizado com tracção traseira ou 4×4, com a primeira a montar um motor de 177 cv na versão com 55 kWh e com 201 cv na de 62 kWh. A versão 4×4 recorre a dois motores, um por eixo, somando 261 cv ou 302 cv, consoante a versão e a bateria, de 62 ou 82 kWh, com este último a envergar a habitual sigla RS.

A autonomia depende mais da bateria do que da potência dos motores e será de 340 km segundo o método WLTP para a versão de 55 kWh, 390 km para a de 62 kWh e de 500 km para o pack de 82 kWh, valor que baixa para 460 km caso a versão seja 4×4. O Enyaq aceita carga rápida, obviamente em DC, com potências até 125 kW, o que lhe permitirá ir de 10% a 80% em 40 minutos.