Na Polónia, a principal liga de futebol regressa esta sexta-feira e prolonga-se pelo fim de semana, com o líder Légia Varsóvia a visitar o Lech Poznan, quinto classificado. Por agora, e tal como no resto da Europa, os clubes polacos vão jogar à porta fechada, sem qualquer adepto nas bancadas. Mas ao que parece, só terão de o fazer durante cerca de três semanas. 

Depois de o assunto ter começado a surgir no início da semana, esta sexta-feira tudo parece estar encaminhado para uma decisão final: a partir do dia 19 de junho, os adeptos polacos poderão assistir aos jogos no interior do estádio, tornando-se a Polónia o primeiro país a ter desporto com espectadores. “Estamos contentes por ter criado um mecanismo especial para voltar aos jogos. É um sinal do regresso à ‘nova normalidade’. Para mim, o futebol é mais do que um jogo. Isto é uma grande promoção da Polónia, das empresas polacas, da nossa capacidade de lutar, das nossas valências e capacidades. Estou contente porque a nossa liga vai ser transmitida em 16 países”, disse Mateusz Morawiecki, primeiro-ministro polaco.

“O bom e velho futebol, com adeptos, vai voltar em breve”. O otimismo de Ceferin, presidente da UEFA, porque “o pessimismo mata”

Com medidas de distanciamento social e regras muito restritas de higienização, os adeptos poderão preencher apenas 25% dos estádios, de forma a limitar a possibilidade de contágio. “Vamos fazê-lo com a devida desinfeção, a venda de bilhetes e o acesso aos estádios não vão causar aglomerações de pessoas. Nos recintos, os adeptos vão ficar sentados de acordo com as regras sanitárias”, acrescentou o primeiro-ministro do país.

Esta possibilidade começou a ser levantada no início da semana, quando a Federação polaca pediu formalmente ao governo que ponderasse a hipótese de permitir uma percentagem de reduzida de adeptos nos estádios das três primeiras ligas de futebol. “Todos queremos voltar à realidade que conhecemos. Abrimos os centros comerciais, os restaurantes e os parques, por isso também podemos discutir a reabertura dos estádios para os adeptos. Claro que estamos a falar de eventos que não sejam de massas, com um número máximo de 999 espectadores. Apresentei o meu projeto ao primeiro-ministro e penso que a solução será segura se seguirmos as regras”, explicou Zbigniew Boniek, presidente da Federação e antigo jogador da Roma e da Juventus. O responsável máximo pelo futebol polaco acrescentou ainda que o projeto apresentado previa a medição de temperatura à entrada do estádio e o uso obrigatório de máscara.

Pandemia vai “recentrar a posição do adepto” no futebol

Esta sexta-feira, Mateusz Morawiecki confirmou então que os adeptos vão voltar aos estádios já a partir do dia 19 de junho, ainda que tenha deixado algumas pontas soltas: não referiu se será só na primeira liga ou nas três divisões principais, como sugerido pela Federação, e não falou em medidas como a medição de temperatura ou o uso de máscara. Certo é que o atual líder Légia Varsóvia, onde jogam os portugueses André Martins e Luís Rocha, poderá lutar pela reconquista do título depois de o ter perdido na temporada passada para o Piast Gliwice — onde joga outro português, Tiago Alves.