A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou este domingo as medidas de prevenção e controlo a adotar nos centros de atividades de tempos livres (ATL), que proporcionam atividades de lazer a crianças e jovens a partir dos seis anos fora do horário escolar, a partir desta segunda-feira, data em que voltam a abrir portas.

Além de ser obrigatório manter o distanciamento entre crianças e jovens, os ATL terão de estar devidamente preparados para lidar com eventuais casos suspeitos de Covid-19, assim como prevenir e minimizar a transmissão da doença através da ativação de um plano de contingência, que deve ser elaborado de acordo com as orientações da DGS e incluir, por exemplo, a definição de uma área de isolamento. Todos os profissionais devem ter conhecimento deste plano.

O distanciamento deve ser mantido através da organização dos mais novos em grupos, que devem ser divididos, na medida do possível, por diferentes espaços dos ATL. À semelhança das superfícies, todos os objetos utilizados nas atividades devem ser desinfetados entre utilizações e todos os profissionais e crianças com idade superior a dez anos devem usar máscara dentro dos centros.

Estas medidas de distanciamento e de higiene devem ser mantidas durante as refeições. De forma a assegurar a maior distância possível, a DGS sugere que os lugares sejam marcados e que a deslocação para as salas se faça de forma desfasada.

Também as saídas e entradas devem ser feitas em horários desfasados e por circuitos distintos, evitando o cruzamento de pessoas que não pertencem ao mesmo grupo e garantindo sempre uma correta higienização das mãos. Esta deve ser feita com uma solução antisséptica de base alcoólica, como tem vindo a ser recomendado pela DGS.

Relativamente ao transporte de crianças, a DGS recomenda o cumprimento do intervalo e da distância de segurança entre passageiros e a redução da lotação máxima do veículo, de acordo com a legislação em vigor.