No passado dia 4 de abril, o Festival Iminente aconteceu virtualmente, fruto da pandemia, e aproveitou a ocasião para recolher donativos para o Centro Hospitalar e Universitário Lisboa Central e o Centro Hospitalar e Universitário de São João, os dois hospitais de referência no tratamento da Covid-19. Aí surgiu a colaboração entre Vhils e o hospital do Porto, que resulta agora na intervenção numa das paredes exteriores ao edifício.

Ao Observador, o artista revela que o trabalho começou no final da semana passada e deverá estar concluído “entre terça a quarta-feira”. Trata-se de uma homenagem aos profissionais de saúde que estiveram ao serviço na linha da frente no combate à pandemia do novo coronavírus, onde se podem ver rostos reais de médicos, enfermeiros e auxiliares de máscara no rosto.

Sem adiantar grandes detalhes até finalizar da obra, Alexandre Faro acrescenta que o cenário é delicado, uma vez que a parede em causa integra uma zona de passagem e toda a poeira própria do seu trabalho não pode interferir com o normal funcionamento do hospital.

Todas as intervenções do artista dão nas vistas e esta não é exceção. Mesmo antes de estar concluída, Manuel Pizarro, eurodeputado socialista que durante a pandemia reintegrou o serviço de medicina interna do Hospital de S. João, e vereador do PS na Câmara Municipal do Porto, captou o trabalho de Vhils e partilhou-o nas suas redes sociais.