As autoridades do Estado norte-americano da Florida, tal como já tinham feito as do Texas, ordenaram esta sexta-feira o encerramento dos bares face aos numerosos novos casos de Covid-19, que estão a levar ao aumento das restrições nos Estados Unidos.

O aumento de infetados com o novo coronavírus no Texas, com 29 milhões de habitantes, é o mais emblemático, uma vez que foi o primeiro a reverter as medidas restritivas, a partir de 1 de maio, semanas antes dos estados no nordeste dos Estados Unidos.

Na Florida, com cerca de 21,5 milhões de habitantes, foi através do “Twitter” que a associação de bares estadual anunciou a medida, minutos depois de o Departamento de Saúde norte-americano ter anunciado 8.942 casos confirmados, um novo recorde diário no Estado, que quase duplica a marca anterior (5.500) atingida quarta-feira.

Fontes estaduais oficiais atribuem em grande parte o novo surto aos jovens adultos que inundaram os bares após estes terem reaberto na maior parte do Estado, há cerca de um mês, com muitos a ignorarem as regras de distanciamento social destinadas a evitar a propagação do novo coronavírus.

Desde sábado que a Florida já registou mais de 24.000 novos casos, mais de um quinto dos 111.724 confirmados desde 1 de março.

Até agora, o Departamento da Saúde ainda não atualizou o total de mortes associadas à Covid-19 na Florida, com o último número situado em 3.327.

A média semanal de testes positivos desceu ligeiramente para 13,4%, menos um ponto percentual do que a registada quinta-feira, mas, ainda assim, é o triplo da observada a 1 de junho (3,8%)

Por outro lado, a média semanal de hospitalizações também continua a subir, atingindo 172 infetados, mais 70% do que a 1 de junho também.

Nesse sentido, as autoridades do Estado anunciaram, pouco depois da associação de bares estadual, que o consumo de álcool será interdito nos estabelecimentos comerciais, medida com efeito imediato.

Esta sexta-feira, em Austin, no Estado do Texas, o governador local ordenou o encerramento de bares, depois de um novo surto da pandemia de Covid-19, após terem sido registados quase 6.000 novos casos de contaminação, também um recorde.

Tal como na Florida, o governador do Texas, Greg Abbot, considerou que o aumento no número de casos se deve, “em grande parte, a certo tipo de atividades, em particular aos texanos que se reúnem em bares”, pedindo às pessoas para respeitarem as medidas de distanciamento social.

O Texas, que nos últimos dias registou mais de 17.000 novos casos, não destoa de outras regiões dos Estados Unidos.

O número de novos casos de contágio nos EUA foi de 40.000, nas últimas 24 horas, eclipsando a marca recorde estabelecida no final de abril, o que tem levado vários governadores a recuar nas medidas de desconfinamento que estavam a ser aplicadas.

Arizona, Texas, Geórgia, Florida e Arkansas, todos no sul, são os Estados mais afetados nos últimos dias.

Em sentido contrário, as mortes por coronavírus nos EUA caíram para cerca de 600 por dia, um número bem abaixo das marcas de 2.200 mortes, em meados de abril.

Nos Estados Unidos foram registados cerca de 2,5 milhões de casos de contaminação, incluindo cerca de 125 mil mortes.

A pandemia de Covid-19 já provocou quase 487 mil mortos e infetou mais de 9,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes