Há cerca de seis semanas, os médicos vietnamitas avisaram que Stephen Cameron, um escocês de 42 anos, precisaria de um duplo transplante de pulmões, que estavam apenas a funcionar a 10% — a mesma probabilidade que lhe deram para sobreviver. Mas o corpo do piloto britânico fez outras contas e, quase quatro meses depois de ter sido infetado com o novo coronavírus num bar do Vietname, volta finalmente a casa, curado.

A história do piloto da Vietnam Airlines, contada nos media britânicos, complicou-se algumas semanas depois de ter chegado ao país do Sudeste Asiático, no início de março, quando passou uma noite num bar de Ho Chi Minh (antiga Saigão). No dia 18 — o mesmo dia em que foi decretado pela primeira vez o estado de emergência em Portugal — Stephen Cameron soube que tinha testado positivo, de acordo com o Guardian.

Passou, no total, quase quatro meses em hospitais do Vietname, incluindo, segundo a BBC, dois meses e meio ligado a máquinas ECMO — uma técnica de suporte de vida de último recurso para doentes críticos que têm falência cardíaca ou pulmonar.

Só que, no final de maio, o piloto acordou do coma, foi melhorando, e no sábado, finalmente, teve autorização para ir para casa, em Motherwell, na Escócia. Seguiu num voo especial de repatriamento para Londres, acompanhado por três médicos. A televisão estatal do Vietname deu conta, nesse dia, de que o tratamento do piloto custou no total 150 mil dólares.

À saída do hospital Cho Ray, o maior do país, Stephen Cameron disse estar “impressionado com a generosidade do povo vietnamita, a dedicação e profissionalismo dos médicos e dos enfermeiros”. O piloto lembrou ainda as escassas expectativas de sobrevivência: “As probabilidades dizem que eu não deveria estar aqui. Por isso, só posso agradecer a todos aqui pelo que fizeram”, disse o escocês.

“Vou para casa com o coração cheio, porque estou a ir para casa, mas triste porque deixo tantas pessoas aqui, com quem fiz amizade”, acrescentou.

Se não tivesse resistido, Stephen Cameron teria sido o primeiro doente com Covid-19 a morrer no Vietname. O Guardian dava conta em maio como o país conseguiu conter o vírus, prejudicando a economia.

As estatísticas reportam apenas 372 casos desde que começou a pandemia — apenas quatro infeções por milhão de habitantes (num país de 97 milhões), de acordo com o site worldometers, que tem acompanhado a evolução dos números a par e passo. Neste momento, há apenas um doente em estado grave no país, de acordo com as autoridades vietnamitas.