Um jovem de 15 anos morreu de peste bubónica na Mongólia, relata o Ministério da Saúde deste país asiático. Segundo a Newsweek, o Centro Nacional de Doenças Zoonóticas (NCZD) explicou que este rapaz da província ocidental de Govi-Altai ficou infetado por ter comido carne de marmota.

Relatos que chegam deste paíse asiático dão conta de que foi instalada uma zona de quarentena que cobre cinco distritos da província em questão, zona que faz fronteira com a China. “O resultado de um teste de reação em cadeia da polimerase (PCR) revelou na noite de segunda-feira que a peste bubónica causou a morte de um rapaz de 15 anos”, disse Dorj Narangerel, porta-voz do Ministério da Saúde.

Rússia anuncia medidas preventivas na fronteira com a Mongólia para impedir chegada da peste negra

A notícia surge depois de no início deste mês duas pessoas outras pessoas terem testando positivo para a dita doença, ambas residentes na província vizinha de Khovd. O mesmo NCZD está neste momento a organizar um programa nacional de imunização para impedir a propagação da doença. Mesmo assim a Rússia já aumentou o patrulhamento das suas fronteiras com a Mongólia na tentativa de impedir a caça de marmotas, animal que parece ser ponto comum entre os casos de peste bubónica relatados recentemente. Ainda no ano passado, por exemplo, foi aplicado confinamento obrigatório na província mongol de Bayan-Olgii, isto depois de terem surgido vários relatos que diziam que um casal tinha morrido de peste bubónica depois de comer carne de marmota crua.

A China também emitiu um alerta na semana passada, isto depois de um outro caso suspeito ter sido descoberto na região autónoma da Mongólia Interior.

Não existe vacina para esta doença bacteriana que muitos associam ao imaginário dos tempos medievais. Normalmente é transmitida entre animais através de pulgas. Os humanos podem também ser infetados por picadas de pulgas ou simplesmente por estarem em contacto com animais infetados. Entre os sintomas mais comuns da doença encontram a febre alta, nódulos inchados e sensação de fraqueza. Segundo a OMS, um adulto pode morrer de peste bubónica em menos de 24 horas se não for tratado com vários tipos de antibióticos.