(Em atualização)

Um incêndio que terá deflagrado já depois das 18 horas de quinta-feira e chegou a mobilizar sete meios aéreos e mais de 250 bombeiros no concelho de Cascais, fez cinco feridos ligeiros: três bombeiros e dois civis, de acordo com fonte dos Bombeiros no local.

O incêndio está na fase de rescaldo, segundo o CDOS de Lisboa à Rádio Observador. No terreno mantêm-se mais de 200 operacionais nos trabalhos de rescaldo para que não haja reacendimentos.

Numa conferência de imprensa cerca das 22 horas, o presidente da autarquia Carlos Carreiras confirmou que “oito casas ficaram inabitáveis” e ferimentos ligeiros num bombeiro e num civil, que não precisaram de assistência hospitalar.

“Oito apartamentos ficaram inabitáveis” devido ao incêndio de Alcabideche, avança o presidente da Câmara de Cascais

Segundo o autarca, tratam-se de dois prédios, onde foram atingidos três andares em cada um e os danos foram provocados pela água utilizada para extinguir o incêndio que atingiu as partes superiores. Quanto ao número de pessoas afetadas, o levantamento ainda estava a ser feito pelos serviços de ação social da autarquia.

“O incêndio começou numa zona de mato perto da escola de Alvide e, neste momento, vem pela Ribeira das Vinhas, mas estão os meios todos acionados. Estão vários meios aéreos, em força, com mais de três dezenas de veículos no terreno a combater o fogo e agora é a parte de combate ao incêndio que ainda não está controlado”, afirmou à Rádio Observador o presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, cerca das 19 horas.

O incêndio que lavrou com “intensidade forte” acabou por ceder aos esforços dos meios pesados no local e dos operacionais, mobilizados em grande número.

Veja no topo da notícia as fotografias do incêndio.