Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São dez arguidos acusados e entre eles está um antigo deputado e secretário de Estado do PSD. A nota da Procuradoria-Geral Distrital do Porto não detalha identidades, mas o jornal Público avança que Agostinho Branquinho está entre os acusados. Em causa está o processo de licenciamento e construção do Hospital de São Martinho, em Valongo, com factos que remontam há 17 anos. Um antigo autarca e dois vereadores também estão entre os 10 acusados.

Segundo o mesmo documento, o arguido — à data deputado — “aceitou ajudar o promotor do investimento, a troco de quantia em dinheiro, para que usando da sua influência política junto do presidente da câmara municipal e dos vereadores lograsse que a construção pudesse ultrapassar os limites legais impostos pelo Plano Diretor Municipal”.

Para além de ter pertencido à bancada social-democrata no Parlamento, Agostinho Branquinho, 63 anos, foi secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social nos dois governos de Passos Coelho. Atualmente é administrador do Hospital da Prelada, da Santa Casa da Misericórdia do Porto.

A mulher do antigo governante, citada pelo Público, confirma a acusação, mas garante que há erros factuais no processo. “A acusação é um chorrilho de mentiras apenas com o objetivo de difamar”, afirmou Carla Branquinho, que exemplifica com o facto de se dizer que Branquinho era deputado em 2002, quando só o foi em 2005.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR