(artigo atualizado às 13h10 do dia 17 de agosto)

A menina de 11 anos, que morreu na última terça-feira no Hospital Joan XXIII em Tarragona, na Catalunha, tinha testado positivo para a Covid-19, mas não morreu na sequência do novo coronavírus, tal como confirmado pelo secretário de Saúde Pública da Catalunha, Josep Maria Argimon, em conferência de imprensa.

Alcaldia. Comunicat:L'Ajuntament de Campredó lamenta la mort d'una xiqueta d'onze anys que vivia a Campredó. La…

Posted by Campredó Municipalia on Tuesday, August 11, 2020

Segundo o jornal El Español, a criança de origem paquistanesa morreu na sequência de uma perfuração gástrica. À data em que a morte da menina foi noticiada, o Ministério da Saúde ainda estava a aguardar o resultado da autópsia, de maneira a determinar se a morte da criança estava ou não relacionada com a Covid-19.

Josep Maria Argimon, secretário de Saúde Pública da Catalunha, defendeu na altura que era “preciso diferenciar bem as duas coisas”. “Não podemos pensar em nenhum momento que [a morte da menor] seja por causa” do coronavírus, afirmou, citado pelo El Mundo. “Trata-se de um caso muito triste.”

Numa fase inicial, a criança que não sofria de patologias prévias deu entrada no Hospital Verge de la Cinta, no município espanhol de Tortosa — dias antes tinha testado positiva. Mais tarde, com um estado de saúde mais debilitado, foi transferida de urgência para o Hospital Joan XXIII, onde haveria de falecer pouco depois das 7h da passada terça-feira.

O óbito aconteceu na sala de cirurgia, uma vez que a criança estava a ser tratada de urgência por sofrer de dor abdominal aguda, que originou uma isquemia intestinal e perfuração gástrica, de acordo com o Diari de Tarragona.